Opinião

Quando for, deixe saudade

É difícil pararmos para pensar que um dia nós também partiremos. Fazemos planos que demorarão meses até acontecer, dividimos parcelas a sumir de vista, vivemos como se fossemos imortais. E quando certa pergunta vem à tona: “se hoje fosse seu último dia, o que você faria?”, então as respostas mais óbvias são ouvidas, de repente toda a coragem pra fazer ganha força e não existe mais nada que bloqueie os nossos sonhos ou que nos aprisiona. É claro, nunca saberemos quando será nosso último beijo, nosso último abraço ou nosso último lamento. Assim como os peixes são apanhados em uma rede, assim somos nós tão vivos e frágeis ao mesmo tempo, apesar de que tantos acham que são invencíveis. Poderíamos até darmos a desculpa de valorizar mais a vida devida sua fragilidade, mas poderíamos muito mais valoriza-la pela oportunidade. Nesse mesmo momento alguém perde abrigo e família de uma hora pra outra em meio a uma guerra, e a vida se foi? Não. Ela continua. E porque então alguém nessa situação poderia querer continuar? Simplesmente pela oportunidade de vida. Parece trivial, eu estar escrevendo esse texto agora e você ter a oportunidade de lê-lo. Nós, seres vivos, como oportunidade única de estarmos aqui e agora, parece banal, mas pode ser considerado um milagre. Simples é quando pegamos todo esse milagre, que chamamos de vida, e a usamos todo dia para… Para que? Para acumularmos, mentiras, ódios, desprezos, dinheiro no banco, na garagem e pelo corpo. A pessoa é mais do que come ou que veste, disse Jesus. E viramos meros espectadores, influenciados, jogados de um lado pra outro, e quando, de uma hora pra outra, a hora vem, então parece que uma coragem nos toma, mas a hora chega e o tempo se foi. E de tanto acumular, ao invés de deixarmos saudade naquele dia, deixaremos o que? Esqueça essa frase que devemos viver o dia como se fosse o último, na verdade deveríamos viver como se fosse o primeiro. Teríamos vontade de aprender algo novo, não teríamos pressa e seríamos mais sensíveis à vida que nos rodeia a todo o instante. Aquele dia e hora ninguém sabe quando virá, mas eu sei que o agora é muito mais importante. Não espere, inspire.

Luiz Gustavo Rotta
Autor da saga de suspense “O CONTADOR”
facebook.com/livrocontador
http://youtube.com/c/luizgrotta

*ARTIGOS ASSINADOS NÃO REFLETEM A OPINIÃO DO JORNAL O REGIONAL