Opinião

Poesia Dia das Mães

Assine O Regional Online

Não sei como começar a dizer tudo que sinto.
Queria saber usar as palavras certas, ainda que discretas,
Mas que fossem as corretas pra dar mais sentido.

Impossível entender esse seu sentimento materno
Que faz com que meu jardim se torne mais florido
E esse seu amor, que faz da dor um desconhecido.

Com um abraço poderia demonstrar minha gratidão,
Mas com seu simples olhar
Você já sabe quando eu minto.

Um beijo poderia funcionar?
Mas ainda que eu a beijasse ou deixasse de beijar
O seu amor por mim sempre seria infinito

Desisto, não consigo amar como você me ama.
Acho que ser mãe é um dom divino
Que faz da mulher um ser invencível.

E não seria para se gabar?
Pois um dia uma mulher em algum lugar
Deu a luz a um Deus menino

Como esse amor pode ir até o íntimo de um ventre
Sendo que ainda antes mesmo de me ver
Já diz que sou, dentre as crianças, o mais bonito?
Mãe, você sabe que a seu afeto eu não resisto.
Te amo, te amo e te amo…
Digo e repito como se nunca houvesse dito.

Um dia no ano pra comemorar não é o suficiente.
O amor de mãe é imensurável.
Não cabe em qualquer recipiente.

É tão imenso e tão sublime como uma flor
Que ao primeiro desabrochar
Libera a flagrância do amor.

Eu só peço que continue me pegando pelas mãos,
Que tenha esperança quando eu desisto.
Às vezes sei que pareço ainda um menino.

É que quando fico longe de suas mãos
Sinto saudade do seu aconchego
Que me leva com os braços até dentro do seu coração.

Mãe, ainda que diga que já não lhe resta emoção
Quero declarar sem nenhum medo:
“O seu imenso amor sempre será para mim um eterno segredo”.

Luiz Rotta
Autor da saga de suspense O Contador
Facebook.com/livrocontador




Tags