Início - Minhas sugestões para 2.016
Opinião

Minhas sugestões para 2.016

Por: Ceminha Siqueira Canhamero
Tem hora em que precisamos dar uma boa organizada na casa e também na nossa vida. A gente fica pensando que um dia vai necessitar daquele objeto ou daquela pessoa e os vai acumulando para só ocuparem lugar, pois já não fazem mais a diferença em nossas vidas.
Eu vou dar um exemplo pessoal e espero ajudar: tenho muita dificuldade em limpar meus guarda-roupas porque fico na esperança que aquelas roupas antigas um dia ainda vão me servir. Com isso, fica tudo amontoado, não acho muitas das roupas que quero usar e as velhas nunca mais que vão servir. A mesma coisa acontece com certas pessoas – fico cultivando algumas que já sei que não valem a pena – só decepções.
Então, o que fazer? Decretar o dia de descartes de roupas, objetos e pessoas infiéis. Difícil mesmo, mas ninguém falou que seria fácil.
O importante é que quando se organizar plenamente vai perceber o que ou quem realmente é importante para você.
Tenho que confessar outra coisa: descarto revistas com muita facilidade, mas meus livros são quase que sacramentais. Companheiros fiéis, amigos do “peito”, formadores de minha cultura, nunca consegui descartá-los até o dia em que a natureza resolveu meu problema: deu cupim no meu escritório. Tudo aquilo que não consegui mandar embora, os cupins se encarregaram. Foi muito triste a despedida, mas cupins em prateleiras são como quando a morte chega – ceifam tudo.
Hoje, temos em Catanduva uma causa nobre – a geladeira com livros para emprestar e devolver na Praça da República. Então, por favor, quando for limpar suas estantes, doem os livros para essa campanha, que pretende incentivar a leitura.
Já seus eletrodomésticos enjeitados, doe para o “Recicla Catanduva” – telefone 99158-6045, que serão reciclados. A natureza agradece.
Outra coisa terrível é o acúmulo de papéis e o pior é que atraem traças, baratas, escorpiões e muito pó. O bom seria queimá-los todos, porém, temos que reconhecer que alguns são importantes e temos que guardar para sempre.
A verdade é que devemos cuidar daquilo que nos traz alegria. Dou como exemplo a minha coleção de DVD – amo e me trazem prazer. Assim devemos classificar em categorias as pessoas que conhecemos: – apenas conhecidos; – pessoas para encontros sociais; – pessoas que nos prestam serviços essenciais; – pessoas com quem temos prazer de conversar ou trocar confidências; e, – pessoas cuja única utilidade é mostrar tudo o que você não deve ser.
Sejamos realistas: a última categoria deve ser deletada. Isto vai causar uma grande melhora na arrumação de nossas vidas e nos fazer mais felizes.
Acho que muitas vezes o que nos impede de atitudes renovadoras é o apego ao passado e o medo do futuro.
Para o ano de 2.016 dou essa sugestão: arrume sua casa para as energias fluírem e selecione pessoas que realmente façam a diferença em sua vida. E não olhe para trás. Olhe sempre para a frente que atrás vem gente. A felicidade é a grande meta!

Ceminha Siqueira Canhamero
Professora de História e colaboradora do Jornal O RegionalMatrimônio e Educação Familiar pela Universitat Internacional de Catalunya– UIC. E-mail: fabiohptoledo@gmail.com