Opinião

AO VEREADOR BENEDITO ALEXANDRE PEREIRA

Senhor vereador, o seu protagonismo cansa os homens de bem. Se, cansa a mim, com certeza cansa aos demais. Diz um adágio popular que tudo o que é demais sobra. E, a meu ver, é o seu caso. Como reencarnacionista que sou, posso avaliar os porões da minha alma: o lado bom e o lado mal. É uma luta diária e intensa para me conter ou calar-me, e confesso que não há dicotomia entre o que falo e o que faço. Ignorar erros alheios é uma obrigação, menos quando se trata de políticos. A nossa civilização é assim: pródiga em dividir e separar e difícil em unir e somar. Eis o nosso estágio. E isso vinha acontecendo em todo o Brasil, mas, depois que o PT faliu moral e financeiramente a Nação, o povo acordou. Eu avalio o meu estágio e sugiro que você faça um esforço e, também, avalie o seu. Passe pelo crivo da razão, do bom senso, todos os seus atos, inclusive o seu voto para cassar Afonso. Avalie por exemplo quem administrou melhor a cidade, se a comunista Beth Sahão e o irmão, se Vinholi que também deixou dívidas imensas ou se Afonso Macchione nas duas gestões. Em ambas administrando a falência dos cofres públicos deixada pelos seus antecessores. E a Câmara Municipal, de vintenária panelinha, acomodando os seus interesses. Essa é a grande verdade. É natural que um administrador erre, mas não acredito que ele, Afonso, tenha erros gritantes. Você, Senhor Benedito, fez a sua escolha na cassação do prefeito e se acha dono de todas as razões. Você faz parte da panelinha, assim como Câmara Federal, Senado da República e Supremo Tribunal Federal controlam uma panela maior. Por enquanto esse é o Brasil de hoje. É da sua lavra um oficio especial endereçado ao prefeito e demais órgãos solicitando tudo o que se refere ao combate da dengue no município. Para que o leitor tenha uma vaga ideia, o oficio só não pede a data de nascimento de cada mosquito transmissor da dengue, sua procedência, paternidade, RG e Título de Eleitor. Senhor vereador, você sabe muito bem que a contaminação da dengue prolifera tão somente porque as famílias não cuidam dos seus quintais. Você não é menos inteligente do que a maioria dos mortais. Qualquer pessoa, por menos cultura que tenha, nos dias atuais, com rádio, televisão e novela fica muito bem informada. Como vereador, o seu maior problema é não reconhecer a competência de quem a tem; tão somente por isso você inferniza a administração atual. Olhe-se no espelho e, com sinceridade d’alma, pergunte a si próprio: “por que eu sou assim?” Este articulista guarda a convicção de que, também você, para o bem da cidade, não se reelegerá. Acredito que um candidato a prefeito como Roberto Cacciari, o melhor por ser confiável e bom administrador, não queira ter ao seu lado pessoas com o seu nível de consciência. Alias, o seu nível de consciência é o que prevalece na Câmara. Dentre todos apenas um se liberta. E tem mais, não alimente ódio contra mim porque a minha casa mental, por razões de equilíbrio, não processa.

Jose Luiz Ferreira
contabilista e poeta. email: jlmirria@gmail.com

*ARTIGOS ASSINADOS NÃO REFLETEM A OPINIÃO DO JORNAL O REGIONAL