História da cidade é preservada por objetos e fotografias nos museus
Catanduvenses podem relembrar o passado ao visitar o Museu Municipal, no Castelinho, e o Centro Cultural e Histórico Padre Albino
Foto: O Regional - Museu Municipal tem poltronas que fizeram parte do antigo Cine República, nos anos 1930
Por Guilherme Gandini | 14 de abril, 2023

Quatro poltronas e o projetor de filmes do antigo Cine República, que ficava na Praça da República, nos anos 1930, ocupam uma das salas do Museu Municipal de Catanduva, instalado no antigo Castelinho do bairro Higienópolis. A história da cidade é preservada pelos objetos e fotos que estão expostos no local e até mesmo o próprio prédio é uma preciosidade.

Para o visitante que decidir reviver um pouco do passado da Cidade Feitiço, o Castelinho exibe máquinas utilizadas para moer café, já que este foi um dos bens que movimentou a economia por décadas, máquina de costura, um piano, rádios e telefones antigos, entre outros utensílios que fizeram parte do dia a dia das famílias catanduvenses ao longo das décadas.

Nas paredes podem ser vistos quadros que mostram momentos importantes e até retratam o crescimento do município, além de imagens da história do próprio Castelinho, cujo primeiro proprietário foi o agricultor Emilio Barrionuevo. O edifício é réplica de uma casa espanhola e começou a ser erguido em 1917, ostentando uma escada externa e 22 cômodos.

Em 1941, o Castelinho foi vendido para João Nasser, que deu cor e bilho para o espaço ao realizar festas e encontros de amigos. Em 2001, o prédio foi tombado como patrimônio histórico da cidade, sendo depois transformado na Pinacoteca Municipal e, no ano passado, em museu. O local abriga 96 peças e funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 12h e das 13 às 17h.

PADRE ALBINO

O Centro Cultural e Histórico Padre Albino - CCHPA mantém viva a memória do Venerável Albino Aves da Cunha e Silva através de peças, objetos, documentos, fotos, pinturas e depoimentos. Sua Hemeroteca, especializada sobre a história de Catanduva, é fonte de consultas e pesquisas. No Acervo Prof. Brasil Procópio de Oliveira estão jornais, revistas e obras de autores locais.

O espaço abriga uma Pinacoteca, com telas de artistas plásticos catanduvenses com cenas da vida de Padre Albino, a Sala Monsenhor Albino, que reúne peças e objetos pessoais ligados ao religioso, a Sala A Capela, com peças da capela do Hospital Padre Albino, da Igreja Matriz e outras que ele utilizava nas missas, a Sala Fundação Padre Albino e um auditório para 25 pessoas.

A Sala Quarto 84, uma das mais visitadas, retrata o quarto do Hospital Padre Albino onde Padre Albino passou a residir até sua morte, com objetos originais utilizados por ele na sua rotina diária. O Centro Cultural e Histórico Padre Albino funciona de segunda a quinta-feira, das 7 às 17 horas, e às sextas-feiras, das 7 às 16 horas. Não é obrigatório agendamento prévio para visita.

Autor

Guilherme Gandini
Editor-chefe de O Regional.

Por Guilherme Gandini | 23 de junho de 2024
‘Forró circense’ é atração para as crianças, no Sesc, neste domingo
Por Da Reportagem Local | 21 de junho de 2024
‘São João de Catanduva’ celebra a Cultura Nordestina na Cidade Feitiço
Por Guilherme Gandini | 20 de junho de 2024
Catanduva recebe espetáculo ‘Os Mundos de Chico Xavier’ em julho