Hanseníase: Hospital de Base é referência para o tratamento na região
Doença infecciosa afeta principalmente a pele e os nervos periféricos, mas não é transmitida pelo contato físico
Foto: Divulgação - Ambulatório de Hanseníase atende pacientes de várias regiões do Estado de SP
Por Da Reportagem Local | 28 de janeiro, 2024

O mês de janeiro é dedicado à campanha de conscientização e combate a hanseníase. Com data nacional marcada no último domingo do mês, a campanha tem o objetivo de trazer informações e fazer um alerta ao estigma e à discriminação associados a essa doença. Na região de São José do Rio Preto, a referência no tratamento é o Hospital de Base, no Complexo Funfarme, que possui ambulatório específico para acompanhamento interdisciplinar da hanseníase.

No passado chamada de lepra, a hanseníase é uma doença infecciosa causada pela bactéria Mycobacterium leprae, que afeta principalmente a pele e nervos periféricos. Os principais sintomas são manchas na pele, que podem ter diminuição da sensibilidade e perda de pelos. Também pode ocorrer dor, formigamento, dormência e deformidades nas mãos e pés.

A médica dermatologista responsável pelo Ambulatório de Hansenologia do Complexo Funfarme, Fernanda Mattar, explica que a transmissão ocorre pelas vias respiratórias, por meio de gotículas de saliva eliminadas na fala, tosse e espirro, em contatos próximos e frequentes com doentes que ainda não iniciaram tratamento e estão em fases adiantadas da doença.

“Diferente do que muitos acreditam, não há transmissão por contato físico, por compartilhamento de objetos, como talheres e roupas de cama, ou contato por curto período com o doente, por exemplo, em ambientes públicos”, diz.

A dermatologista orienta que quanto mais cedo a doença for diagnosticada e o tratamento iniciado, há diminuição na probabilidade de sequelas e o paciente deixa de transmiti-la.

“A hanseníase é tratável e curável. Em situações de diagnóstico tardio, é possível que ocorram sequelas permanentes, no entanto, a administração adequada do tratamento é eficaz na prevenção da disseminação da doença, o que permite melhor qualidade de vida para o paciente. O conhecimento sobre a curabilidade da hanseníase é fundamental para combater o estigma associado à doença e promover uma compreensão mais abrangente na sociedade”, destaca.

AMBULATÓRIO

Pensando em um cuidado de excelência para esses pacientes, o Complexo Funfarme criou um ambulatório específico para tratar de pacientes com Hanseníase na região de Rio Preto. Só em 2023, foram atendidos 237 pacientes pelo ambulatório que, além de consultas periódicas, puderam contar com cuidados multidisciplinares disponibilizados pela Funfarme.

“O Ambulatório de Hanseníase do HB recebe casos que não foram resolvidos nas unidades básicas de saúde da região de Rio Preto. Nele, o paciente tem acesso a suporte contínuo e a exames de alta complexidade, como eletroneuromiografia, exames de imagem e laboratório de anatomia patológica, que permitem um cuidado global e específico", cita Jorge Fares, diretor executivo da Fundação Faculdade Regional de Medicina de Rio Preto (Funfarme).

O núcleo atende pacientes dos 102 municípios da DRS XV (Departamento Regional de Saúde) de Rio Preto, além das DRS de Araçatuba, Araraquara, Barretos e Presidente Prudente.

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional

Por Da Reportagem Local | 13 de abril de 2024
Unimed Catanduva apresenta ações inclusivas para comitê estadual
Por Da Reportagem Local | 13 de abril de 2024
Atenção à evolução de criança com autismo pode diminuir prejuízo na comunicação
Por Guilherme Gandini | 12 de abril de 2024
Unidades de saúde abrem amanhã para vacinação contra a gripe