Cardiologista recomenda checar a saúde do coração neste início de ano
Adriana Bellini Miola, do Instituto de Moléstias Cardiovasculares (IMC), ressalta que o check-up tem ação preventiva importantíssima
Crédito: Divulgação - Adriana Miola salienta que há pessoas que devem iniciar o check-up ainda mais cedo
Por Da Reportagem Local | 21 de janeiro, 2024

Início de ano é o momento em que as pessoas avaliam e traçam novos objetivos para a vida, planejam a parte financeira e traçam planos para a carreira e trabalho. Mas a maioria das pessoas não se lembra do principal: a saúde. Esta é a época ideal para aproveitar que a rotina desacelera um pouco e reservar um tempo para fazer o check-up cardiológico, afinal, o coração tem impacto em todo o corpo.

No check-up, o médico realiza uma avaliação clínica completa, que inclui o histórico, a rotina e os hábitos do paciente, exame físico com a medida da pressão arterial, exames de sangue e de imagens.

A cardiologista Adriana Bellini Miola, do Instituto de Moléstias Cardiovasculares – IMC, ressalta que o check-up tem ação preventiva importantíssima. "Nesta avaliação, podemos diagnosticar doenças do coração mesmo antes dos sintomas aparecerem e tratá-las ainda no início, quando o controle da doença é melhor e as chances de obtermos resultados positivos são maiores", afirma.

O consenso na medicina é que, a partir dos 40 anos, a pessoa faça o check-up uma vez por ano, pois é a partir desta faixa etária que aumenta a incidência das doenças cardiovasculares.

Adriana salienta que há pessoas, no entanto, que devem iniciar o check-up ainda mais cedo, caso um dos pais ou irmãos tenha tido precocemente doença coronária, como infarto, ou tido a necessidade de se submeter a cateterismo ou à cirurgia no coração.

"Devemos ficar ainda mais atentos se o paciente possui pai ou irmão, enfim, parente de primeiro grau, do sexo masculino com menos de 55 anos de idade e do feminino com menos de 65 anos, que tenha tido infarto, morte súbita ou foi submetido a angioplastia com stent ou cirurgia cardíaca de revascularização do miocárdio (ponte safena ou ponte mamária", destaca a cardiologista do IMC.

O quadro revelado acima é considerado o mais importante fator de risco para doença coronária, cuja manifestação pode ocorrer antes, justificando a necessidade de se fazer check-up ainda jovem e se preocupar com o controle dos fatores de risco mais precocemente, logo no início da fase adulta. É recomendado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia, no entanto, que a partir dos 10 anos, se meça o colesterol e, a partir dos 18 anos, seja aferida a pressão arterial. A Sociedade Americana de Diabetes, por sua vez, orienta as pessoas a partir dos 35 anos a medir a glicose no sangue e, se normal, repetir a cada 3 anos.

A avaliação geral de saúde pode começar bem antes, pela pesquisa dos fatores de risco para aterosclerose: "o objetivo é fazer um diagnóstico precoce da aterosclerose, que são placas de gordura nas artérias, e o efetivo controle dos seus fatores de risco, para evitar que elas cresçam", destaca o cardiologista.

CUIDADOS NECESSÁRIOS

O check-up cardiológico permite detectar alterações no coração em estágio inicial, ou ainda diagnosticar anomalias já instaladas, mas que ainda não se manifestaram. A avaliação precoce e rotineira é ideal para acompanhar e cuidar da saúde do órgão responsável por bombear sangue para todo o corpo. Com a realização do check-up cardiológico, você garante prevenção e proteção contra doenças, proporcionando tranquilidade, segurança e qualidade de vida.

Se não adotar essa rotina preventiva, a pessoa corre o risco de problemas que põe em risco a vida. A aterosclerose, por exemplo, é a principal causa de doenças cardiovasculares. À medida que placas de gordura se desenvolvem dentro das artérias coronárias, obstruem a passagem de sangue pelas artérias, resultando em quadros de angina, infarto, arritmias e até mesmo à morte súbita.

"Detalhe muito importante é que, nas fases iniciais, a pessoa pode não ter nenhum sintoma destes problemas. Por isso, a avaliação sobre a presença de fatores de risco para as doenças cardiovasculares começa cedo", pontua a Dra. Adriana. Segundo ela, os fatores de risco que podem levar ao desenvolvimento das placas de gordura nas artérias e ao infarto são colesterol alto; pressão alta; diabetes (açúcar alto no sangue); tabagismo; estresse; obesidade; história familiar de infarto (principalmente pais e irmãos).

Além do check-up anual, as pessoas devem adotar hábitos preventivos, como a prática regular de atividade física, alimentação saudável, cessação do tabagismo e acompanhamento da pressão arterial, colesterol e glicemia para manutenção em níveis normais.

Autor

Da Reportagem Local
Redação de O Regional

Por Da Reportagem Local | 14 de julho de 2024
Saúde orienta pais a aproveitarem férias para atualizar caderneta
Por Guilherme Gandini | 11 de julho de 2024
Cobertura vacinal contra gripe chega a 35% entre grupos prioritários
Por Da Reportagem Local | 11 de julho de 2024
Campanha de vacinação contra gripe termina no próximo domingo