Esportes

Catanduvenses Trazem Títulos Para Casa Após Competição de Xadrez em Franca

No último sábado, dia 31 de agosto, foi realizada a 4ª Etapa da Superliga de Xadrez 2019, nas dependências do SESI, em Franca. Além da cidade sede, estiveram presentes enxadristas de Bauru, Catanduva, Mirassol, Novais e São Sebastião do Paraíso, que fica em Minas Gerais, totalizando 96 competidores.
A delegação da Cidade Feitiço participou com 30 representantes, contando, também, com o apoio da Prefeitura de Catanduva. “Gostaria de agradecer à Secretaria de Educação, na figura da senhora Tânia Aparecida Ribeiro Botós; e também à Secretaria de Esportes, na pessoa da senhora Maria Rita Aguilar Araújo. Ambas as secretarias têm nos dado total apoio, fornecendo todo o suporte material necessário para o desenvolvimento de centenas de enxadristas catanduvenses”, informou o Gleison Begalli, presidente do CXC – Clube de Xadrez Catanduva.
Após um total de seis rodadas de disputas, a equipe catanduvense retornou com cinco títulos e dois vice-campeonatos na bagagem. O torneio 1, para jogadores abaixo de 13 anos, foi vencido pelo catanduvense Isaac Manoel Morrison Silva (do CXC), com 100% de aproveitamento, seis vitórias em seis partidas e título de campeão da categoria sub-12 masculino. Vitor Hugo Pires da Silva conquistou quatro vitórias e ficou com o troféu de campeão na sub-10 masculino. Já na divisão feminina, Nicolly de Souza foi a campeã na categoria sub-12 anos. Já no torneio 2, para jogadores acima de 12 anos, os destaques catanduvenses vieram do naipe feminino. Miriam Raíssa dos Santos, com quatro vitórias, sagrou-se campeã no sub-14 feminino, e Melissa Isabela da Silva foi a grande campeã no sub-16 anos.
“Além de somar pontos no Circuito, a competição também proporcionou aos enxadristas iniciantes o ingresso no ranking nacional, da Confederação Brasileira de Xadrez (CBX) e, aos mais experientes, no ranking internacional (FIDE). Ou seja, na próxima atualização os participantes aparecerão na listagem das duas importantes entidades supracitadas”, continuou Gleison.
O presidente de honra do Clube de Xadrez, Antônio Celidôneo Ruette, observa que “o xadrez é, acima de tudo, uma prática saudável, estimulante do ponto de vista intelectual e que muito contribuiu para o desenvolvimento de seus praticantes, além de poder unir num mesmo ambiente, jogadores de quatro a 100 anos”.
Vale ressaltar que, com a Superliga, foram arrecadados dos participantes 30 kgs de alimentos não perecíveis, que foram encaminhados ao Fundo Social de Solidariedade de Franca.

Da Reportagem Local