Esportes

Altobeli Passa Mal e Para no KM 7,5 da São Silvestre

Agora, ele está de férias para poder encarar as competições de 2018 (Divulgação)
Assine O Regional Online

Não foi dessa vez que Altobeli Silva conseguiu levar a melhor na Corrida de São Silvestre. O atleta que representou Catanduva na competição parou no quilômetro 7,5 depois de ter um mal estar. Mesmo diante dessa barreira, ele não desistiu do sonho que é estar no pódio da prova que no ano passado chegou a 93ª edição. Agora em janeiro ele vai aproveitar para descansar e encarar as competições que 2018 reserva.
Em entrevista ao O Regional, ele fala que não completou a prova porque não se sentiu bem a ponto de continuar. “Também não ia compensar continuar, ficando entre os 20, eu treinei para ficar entre os cinco ou brigar pela primeira colocação. Já que não consegui, então não tinha porque eu completar, só iria adquirir cansaço e não iria fazer a diferença para mim, porque se eu fosse correr e ficar entre os 20 não precisava ter treinado da forma que treinei, era só ficar mais em casa e treinar meio período”, disse.

O objetivo do atleta era o de ficar entre os cinco melhores, não entre os 20. “Se fosse para ficar entre os cinco já era outra coisa, o ritmo é mais forte, tem que ficar junto, e ai tudo certo. Por mais que eu tenha treinado, se der você vai acompanhar o pessoal até o final e subir a Brigadeiro junto é sinônimo de pódio. Se ficar antes, ai já era, não tem como (não ganhar). O desgaste é muito maior, você cansa dobrado e a fadiga é maior ainda porque atinge seu linear ao máximo”, explica.
Quando se chega ao limite, o competidor é obrigado a parar, complementa ele. “Porque o seu corpo pede para parar, porque se não parar pode ir a óbito. É muito complexo isso. Então eu não tinha como continuar mais, não tinha como meu corpo continuasse. Eu treine bem, mas não sei o que aconteceu”, finalizou.
Emocionado, Altobeli publicou um texto nas redes sociais se desculpando pelo desempenho. “Obrigado a todos pelo carinho e pela torcida, São Silvestre é complicado, você treina se prepara e chega nela dá tudo errado, a única prova que todo ano eu não acerto, mais uma hora preciso acerta, quem sabe na próxima. Não vou desisti, o verdadeiro guerreiro é o que morre lutando no campo de batalha e não o qual desiste de seus sonhos. Eu quero mais desafios” desabafou.
A publicação teve mais de 600 curtidas e 138 comentários de incentivo ao atleta que se destacou em várias competições ao longo de 2017, não só no Brasil como também no exterior. Agora, ele está de férias para poder encarar as competições de 2018.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local