Esportes

35 Esportistas São Contemplados Com o Bolsa Atleta em Catanduva

(Divulgação)
Assine O Regional Online

35 esportistas foram contemplados com o Bolsa Atleta 2018 em Catanduva. O investimento é de R$ 12,5 mil e a relação dos beneficiados consta no Imprensa Oficial do Município da última sexta-feira (2). A informação é da Secretaria Municipal de Esporte, Lazer e Turismo (Smelt).
Diferentes categorias terão atletas patrocinados, sendo 28 mulheres e 17 homens nas modalidades de ginástica artística (3), atletismo (3), natação (5), taekwondo (3), boxe (1), levantamento de peso (2), judô (5), xadrez (5), capoeira (1) e basquete (4). Entre os atletas com deficiência, aparecem atletismo (1) e natação (2).
Conforme o edital, o atleta contemplado receberá 11 parcelas do valor definido para cada categoria, a partir da assinatura da concessão do benefício. O valor do programa Bolsa Atleta varia entre R$ 200 e R$ 500.
Como critérios ao pleito, o auxílio será destinado a atletas de modalidades reconhecidas pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) ou CPB (Comitê Paralímpico Brasileiro), além de esportistas que participaram dos Jogos Abertos do Interior no ano passado e que obtiveram resultado de 1º, 2º e 3º lugares nas modalidades individuais ou 1ª e 2ª posições nas coletivas.

Benefícios de 10 anos
são investigados
Foi em julho do ano passado que a Promotoria de Patrimônio Público informava a investigação dos benefícios concedidos a atletas de Catanduva nos últimos 10 anos, período que engloba os dois mandatos anteriores do atual prefeito Afonso Macchione Neto (PSB) e também o mandato do ex-prefeito Geraldo Antônio Vinholi (PSDB).
Um inquérito civil foi instaurado pelo promotor André Luiz Nogueira da Cunha a partir de ofício da prefeitura que informou suposta irregularidades na concessão de benefícios do Programa Bolsa Atleta. De acordo com o documento, 11 pessoas teriam recebido o benefício de maneira irregular.
Antes de instaurar inquérito, o representante do Ministério Público (MP) solicitou informações por certidão a respeito de todos os benefícios concedidos ao longo dos últimos 10 anos, com listagem completa de beneficiários, valores recebidos por cada um e atividades desempenhadas por cada um, mediante “atestado ou comprovante da prática do esporte, firmado por quem deveria fiscalizar o programa, justamente para se descobrir quem é o responsável por firma que alguém efetuara o treino, sem tê-lo feito”, completou o promotor. A investigação está em andamento.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local