Cultura

Dançarino Catanduvense Compete em Nova York

Renan também deu aulas em Catanduva FOTO- Arquivo Pessoal/ MLstudio
Renan também deu aulas em Catanduva FOTO- Arquivo Pessoal/ MLstudio
Assine O Regional Online

Com apenas 21 anos, o catanduvense Renan Biduti viaja para mais um país, levando sua dança e o nome de Catanduva. Depois de Colômbia, Peru, Argentina e Chile, a competição da vez será em Nova York.

O dançarino é também formado em letras, e escreve nas horas vagas. “Eu gosto muito de escrever, gosto tanto que lancei meu livro recentemente, chamado “Da Aurora ao Ocaso”.

A próxima parada de Renan é na Batalha Phunk Phrenzy, que acontecerá no dia 12 de agosto. No entanto, o dançarino desembarcou em solo americano neste sábado (05) para passar uma semana participando de cursos e workshops na Broadway Dance Center.

“Eu vim pra cá com intuito de aprender e aperfeiçoar minha didática, mas estou aproveitando também para competir nesse evento, que é uma grande batalha de diversos estilos. No caso, vou competir no estilo “Popping” contra os dançarinos daqui”, explicou Biduti.

O amor pela dança

Uma curiosidade é como Renan iniciou na dança, que segundo ele foi por ciúme de irmão. “Eu comecei por conta da minha irmã, ela ia iniciar um curso de Danças Urbanas na igreja que íamos e eu acabei indo com ela, por puro ciúme de irmão mais novo. Atualmente ela participa das aulas que eu ministro e eu só tenho de agradecê-la por me mostrar esse caminho”, confessa.

O dançarino conta ainda sobre sua participação no Festival de Dança de Joinville, considerado o maior do mundo em número de participantes. “Eu danço atualmente no grupo Kahal, que é de Jundiaí e fomos competir em Joinville, conseguimos o segundo lugar, então é um feito muito importante para nós”.

Sobre a coreografia com a qual irá competir no evento do dia 12, Renan explica o porquê ele encenará mais de uma de suas criações. “Como o nome já diz é uma batalha, então é algo “um contra um”, sendo assim irei apresentar mais de uma coreografia, pois também depende do seu improviso, do seu estilo corporal, entre outros quesitos. O nível do pessoal daqui é altíssimo, mas creio que só de estar entre eles já é algo incrível e agradeço a todos que me apoiam e torcem por mim”, finaliza o catanduvense.

Da Reportagem Local