Colunismo Social

Café Minuto 14-12-2018

PAPAI NOEL - Uma das melhores coisas na infância é acreditar em Papai Noel. Aquela expectativa da chegada do Natal e dele trazer nosso presente é dos melhores momentos de uma criança. E quando somos “ameaçados” pela mãe: “Se você não se comportar Papai Noel não vai te trazer presente”. Antes de dormir, na véspera, pomos nosso sapato perto da porta para Noel deixar nosso presente. É bom ser criança, né! Contudo, essa magia quebrou-se para mim antes do tempo das crianças descobrirem quem é o Noel. E foi por acaso. O quarto dos meus pais era separado por uma parede do nosso quarto. Uma noite, não sei por que, acordei. Não tinha ideia das horas, mas devia ser tarde. Ouvi meus pais conversando e num dado momento minha mãe perguntava ao meu pai quando é que ele ia comprar nosso presente, o meu e de minha irmã. O Natal estava chegando, as lojas cheias e poderia não encontrar nada. Eu pedi ao Noel uma coleção de carrinhos e ele precisava ir a várias lojas para compra-los. Ah! Então nosso pai que é o Papai Noel... Na minha inocência eu ainda pensei que ele se vestia de Noel para deixar os presentes, mas descobri: Papai Noel não existia.
Assine

PAUTAS BOMBAS – Os atuais deputados e senadores vão deixar uma herança maldita para o Brasil. Nos últimos meses aprovaram projetos da pauta bomba, que infelizmente não explodem eles, ampliando as despesas ou obrigando a renuncia fiscal e assim aumentam o déficit público. Uma delas foi o reajuste dos salários dos ministros do STF, que pode aumentar as despesas em 5,3 bilhões ao ano. Atualmente se apressam para aprovar a prorrogação de isenções fiscais de empresas que atuam nos polos industriais, as chamadas superintendência de desenvolvimento, outra facada de 9 bi anuais. Há um motivo também por trás dessas “bombas”. Mais de 50% da Câmara e do Senado não se reelegeram. Quando a conta chegar vão estar de pijama, assistindo de camarote o problemaço que eles criaram. Será vingança? Sabotagem? A equipe de Bolsonaro está sendo ignorada, apesar de ser quem vai segurar o rojão. O principal incentivador das pautas bombas é Eunício de Oliveira, presidente do Senado, que estará em casa também, não foi reeleito. Eunício e Paulo Guedes têm entrado em conflito e já trocaram tiros publicamente. O Legislativo deve contribuir para diminuir despesa e não aumentar, para o bem do país. Não tão nem aí. Afinal, a conta sobra para nós como sempre.

BELA ESPOSA – Rotuneido, 8 anos de casado com Enicreuda, sofre um acidente grave de carro. Por sorte escapa com apenas uns arranhões, mas seu pênis é dilacerado. Dr. Penisneylor, especialista em implantes penianos, assegura que um implante resolve e que fica perfeito. Ele nem vai lembrar do original. O problema é que o plano de saúde não cobre a cirurgia, pois é considerada estética. Dr. Penisneylor diz a ele os preços da cirurgia: 4 mil reais – tamanho pequeno; 8 mil reais – tamanho médio; 15 mil – tamanho grande. Rotuneido concorda, mas fica em dúvida quanto ao tamanho: P, M, ou G. O médico aconselha a conversar com sua esposa antes de decidir e sai da sala para deixa-lo à vontade. Ele telefona à Enicreuda e explica a situação, falando dos tamanhos. Depois de um tempo Penisneylor volta a sala e encontra Rotuneido profundamente deprimido e pergunta – Então, o que você e sua esposa decidiram? – Nada. Ela disse que prefere reformar a cozinha.

TÁ CHATO – Essa história do politicamente correto tá muito chato. Hoje não se pode falar nada, ao contrário, pensar no que diz para não incorrer no politicamente errado. Estamos sendo patrulhado o tempo todo. Isso tem um nome: Censura. Cadê o direito de livre expressão, garantido pela Constituição? Só vale para dizer o que julgam certo? Pode parar, né!! Olha uma boa definição de politicamente correto. A garota, 14 anos, pergunta para a mãe: – Mamãe, o que é “politicamente correto”? – Minha filha, significa você abrir mão de sua opinião para agradar um bando de imbecis sensíveis.

ENGENHEIRO – Liguei para Effroeydo, engenheiro meu amigo. E aí Eufro? Tá muito ocupado. – Um pouco. Estou fazendo um trabalho sobre o tratamento hidrotérmico de cerâmica, vidro e metais num ambiente de tensão. Fiquei impressionado. Effroeydo sempre foi um profissional dedicado e surpreendente. Eu não tinha entendido nada do que ele disse e pedi para explicar melhor. Ele então me contou que estava lavando a louça com água quente, sob supervisão da esposa.

O JOÃO – Caiu a máscara de João de Deus. Em apenas dois dias que foi criado um e-mail (denuncias@mpgo.mp.br) para receber queixas, após as denuncias apresentadas no programa Conversa com Bial, 205 mulheres relataram abusos praticados pelo safado. As denuncias vêm de vários Estados, uma delas acontecida há 20 anos. Demorou para começar a investigar João Podre, antes já havia relatos de abusos. Em 2016, uma filha dele revelou, em vídeo, que foi abusada dos 10 aos 14 anos. Em 2017, ameaçada pelo pai, fez outro vídeo desmentindo. O MP de Goiás avalia que as denuncias de abuso sexual do canalha vão superar Roger Abdelmassih, médico acusado por 48 mulheres e condenado a 181 anos de prisão. Com 205 relatos o pilantra pode pegar uns 558 anos de cana. As informações, até agora, mostra três crimes: estupro, estupro vulnerável e violação sexual. Os abusos são conhecidos em Abadiânia, cidade de 18 mil habitantes. As pessoas que trabalham com o beócio sabem que ele faz isso há anos, mas ficam na moita. E ele é João de Deus. Imagina se fosse João de Satanás?

TUDO IGUAL – Em 1969 o jornalista carioca, Zózimo Barroso do Amaral foi preso e levado para o Batalhão da Polícia do Exército, na Tijuca. No segundo dia preso, sua esposa Márcia foi visita-lo e levou uma cesta com queijos franceses: camembert, brie, roquefort e outras delícias da fromagerie francesa. Zózimo, envergonhado com a ostentação, num lugar em que os presos brigavam pelo proletariado faminto, ofereceu as iguarias aos socialistas. Depois, cochichando para Márcia, pediu: “da próxima vez traz catupiry”. Dias depois Márcia volta com outra cesta, dessa vez catupiry, queijo minas e mortadela. Tudo gostoso e compatível com os detentos. A turma comeu e agradeceu. Bezze, chefe dos presos, um dos organizadores da passeata dos Cem Mil e presidente do Centro Acadêmico Cândido Oliveira da Faculdade de Direito da UFRJ, chamou Zózimo no canto: “Olha meu prezado colunista, nós estamos aqui presos, mas não perdemos nossa dignidade compreendeu?”. Zózimo, surpreso: “o que houve? O que eu fiz?” Bezze explicou: “Da primeira vez sua mulher trouxe camembert, brie… Ontem, catupiry, mortadela… Antes que apareça Polenguinho quero te dizer: só queijo francês! Do bom! Somos socialistas, mas gostamos de coisas finas, importadas.” Passados 49 anos desse episódio, a esquerda brasileira continua “caviar”. E hipócrita. (O episódio é verídico e consta da biografia de Zózimo Barroso do Amaral).

 




Assine O Regional

Digital Mensal
R$21,30 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
Digital + Impresso(Sáb e Dom)
R$44,60 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal impresso aos sábados e domingos
Digital + Impresso (Ter a Dom)
R$70,50 / mês
  • Acesso Total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal Impresso de terça a domingo
Digital Anual
R$189,40 / ano
  • Acesso Total
  • Computador, Celular ou Tablet
Digital Anual + ImpressoTerça a Domingo
R$614,10 / ano
  • Acesso Total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal Impresso de terça a domingo