Cidades

Três Pessoas São Presas em Flagrante por Atear Fogo em Área Rural

Três homens foram presos em flagrante por atear fogo em mato em uma área rural de Pindorama. Um adolescente que estava junto na ação, também foi ouvido e, posteriormente liberado com a presença dos pais. Esta, possivelmente é a primeira prisão em flagrante efetuada na região pelo crime ambiental.
A área atingida é de propriedade de uma usina da região, Usina Colombo, que possui uma parceria com empresa de segurança, voltada para proteção do meio ambiente e fiscalização sobre incêndios criminosos.
De acordo com relatos, policiais civis de Pindorama receberam a denúncia de um morador da cidade, informando que quatro homens estavam colocando fogo na mata.
Policiais iniciaram buscas e encontraram os suspeitos que, segundo eles, estariam tentando atear fogo em outra área com cigarros e isqueiros.
Para a polícia, os acusados confessaram o crime e alegaram “agir por pura diversão”.
O delegado de Pindorama, Márcio Acácio Seguesse, não arbitrou fiança, já que o crime de incêndio, previsto no artigo 250 do Código Penal é inafiançável na fase policial.
Os três acusados foram ouvidos e encaminhados à Cadeia Pública de Catanduva.
A área atingida pelo incêndio será periciada pelo Instituto de Criminalística de Catanduva. A fumaça ocasionada pelas chamas dificultou a visibilidade na estrada vicinal João Colombo e atrapalhou o fluxo de automóveis e caminhões.
De acordo com o diretor de operações do Grupo SP de Segurança, Gustavo Steffen de Azevedo Figueiredo, que mantém parceria com a usina para proteção do meio ambiente e combate a incêndios criminosos, as empresas juntas realizam mega operação visando o combate desse tipo de atitude.
Para isso, utilizam vigilantes, cães farejadores, drones e câmeras de monitoramento.
E a população também pode ajudar. Ficou estabelecida uma recompensa de R$ 3 mil para quem denunciar incêndios criminosos e apresentar provas que identifiquem os autores do crime. “A Usina Colombo reafirma que pagará recompensa financeira aos cidadãos que realizarem denúncias com apresentação de provas cabais que identifiquem os autores dos incêndios criminosos. Para isso, disponibilizamos um telefone do Grupo SP (17) 99625-9269”, afirma Figueiredo.

Da Reportagem local