Cidades

Sem Predador Natural, Superpopulação De Pombos é Problema Registrado

Sem predador natural, os pombos tem causado transtorno e preocupação aos cidadãos de Catanduva. A superpopulação dessas aves é um problema registrado em vários pontos da cidade, de acordo com informações da prefeitura. A maior preocupação é principalmente por doenças que podem ser transmitidas pela ave e suas fezes.
Segundo técnicos da Secretaria de Meio Ambiente e Agricultura de Catanduva, os pombos não são nativos da região e, por conta disso, não tem predador natural. Eles são atraídos principalmente por restos de comida e até mesmo por pessoas que alimentam essas aves.
Ainda segundo a prefeitura, um dos pontos mais problemáticos em Catanduva é a Praça da República, mas há também registros em árvores das Praças Monsenhor Albino e 09 de Julho. No terminal rodoviário e em escolas, os pombos também tem feito seus ninhos.
Em resposta a questionamentos de O Regional, a prefeitura afirmou que nas praças centrais é feita a limpeza frequente do piso e pode constante nas árvores, a fim de afastá-los.
No Terminal Rodoviário, de acordo com a Secretaria de Trânsito e Transportes Urbanos (STU), o problema que será resolvido com a contratação de empresa que realizará a vedação do telhado – local que ainda está sendo utilizado como alojamento pelas aves. Essa contratação foi finalizada nos últimos dias, conforme já noticiado por O Regional.
Já a Secretaria de Educação explica que foram atendidas inicialmente duas escolas que registraram ocorrências envolvendo as aves. É o caso do CAIC, no Solo Sagrado, e do Armando Prandi, na Vila Soto. Nessas instituições, a própria direção realizou o desalojamento dos pombos. Como medida preventiva, a Secretaria de Educação trabalha com a proposta de abertura de um pregão, para que o serviço possa ser desenvolvido não só nas duas escolas citadas, como também em todas as instituições de ensino da rede municipal, uma forma de combater o surgimento das aves.
Caso semelhante se deu na escola do Nova Catanduva, onde a direção pretende adquirir e testar um equipamento sonoro que afugenta as aves, até que a medida definitiva seja estabelecida.
Recentemente, o vereador Benedito Alexandre Pereira, Ditinho Muleta, elaborou requerimentos depois de ir até a escola do Nova Catanduva e verificar a quantidade de pombos existente no local e, principalmente, no telhado do refeitório.

Karla Konda
Editora Chefe