Cidades

Sem Dar Detalhes, RUMO Realiza Obras em Catanduva

Assine

Sem dar detalhes, a concessionária RUMO, que administra a linha férrea em Catanduva, realiza obras em um trecho da cidade. O serviço seria de adequação ferroviária, conforme informou a empresa por meio de nota, mas não cita quais são essas adequações. No ano passado, a concessionária e a prefeitura de Catanduva apresentaram um projeto polêmico da derrubada do pontilhão da rua Sete de Setembro, que inclusive foi parar na justiça.
Nossa reportagem esteve no local dos serviços, que fica nas proximidades de um condomínio fechado, na tarde de ontem (7), mas os trabalhos começaram há algumas semanas e vem chamando a atenção não só dos moradores, como também das pessoas que passam pelo local.
Um trem cobria todo o serviço sendo feito do outro lado do trecho, com máquinas que faziam uma espécie de limpeza na área. No período da manhã, os relatos que chegaram a equipe de O Regional, eram de que caminhões inclusive que realizam pavimentação estavam no local. No fim da tarde o trem havia saído e era possível ver a movimentação das máquinas.
Nossa reportagem procurou por duas vezes a assessoria de imprensa da RUMO. No primeiro questionamento, feito por email, o setor respondeu que “são obras de manutenção e adequação operacional”, informou.
Questionado pela segunda vez, na manhã de ontem, a assessoria de imprensa disse que “A empresa esclarece que são obras ferroviárias, em área operacional e que não geram impactos na população. Conforme já informado, são obras de adequação ferroviária. A concessionária ressalta que segue estudando alterativas de melhorias para o transporte de cargas e também de mobilidade urbana”, respondeu por meio de nota.
No final do mês passado, o Tribunal de Justiça de São Paulo concedeu liminar para que a lei que torna o viaduto Santo Alfredo, da rua Sete de Setembro, Patrimônio Histórico da cidade seja suspensa temporariamente até que a Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) proposta pelo Executivo seja julgada pelo Colégio Especial. O deferimento de liminar foi publicado no Diário Oficial do Estado. O projeto de lei, de autoria do vereador Wilson Paraná, foi aprovado pela Câmara em agosto do ano passado.
Na ocasião houve uma longa discussão, com falas dos dois vereadores contrários – Cidimar Porto e Luís Pereira – e discursos dos parlamentares favoráveis a proposta. O tema das discussões era o de garantir meios de que a Prefeitura não coloque em prática o projeto que vem estudando ao lado da concessionária RUMO, que administra a linha férrea, e assim, evitando que o pontilhão da rua Sete de Setembro seja derrubado. Para a votação do projeto estavam presentes integrantes do movimento Reação, que colaram adesivos nos parlamentares. Na Lei hoje suspensa temporariamente, fica vedada a sua descaracterização, destruição, demolição e qualquer tipo de obra que venha a modificar a atual estrutura, ficando estabelecidas as seguintes diretrizes, consideradas indispensáveis para o cumprimento da presente Lei: Altura 5,20 m; Comprimento 17,68 m; e Largura 17,46 m.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local