Cidades

Secretária Municipal De Educação De Catanduva Acompanha Projeto No Fórum

A Prefeitura de Catanduva, por meio da Secretaria de Educação e em parceria com o Tribunal de Justiça, envolveu dois mil alunos no projeto “Justiça e Cidadania também se aprendem na escola”. A iniciativa foi desenvolvida por etapas e o encerramento contou com a visita dos estudantes ao Fórum de Catanduva, na sexta-feira, (29).
Na fase final, foi realizada uma visita ao Fórum, onde os estudantes conheceram os cartórios, salas de audiência e o Salão do Júri, com o encerramento das atividades. Secretária municipal de Educação, Tânia Aparecida Ribeiro da Fonseca esteve presente na atividade e representou a prefeita Marta do Espírito Santo Lopes. O juiz Wagner Ramos de Quadros também participou do encerramento do projeto. “As reflexões realizadas no ambiente escolar possibilitaram aos educadores e alunos vivenciar a cidadania, firmando-se como pessoas que fazem a diferença e transferindo essas ações para a sociedade”, destaca a secretária.
A 3ª edição do projeto foi desenvolvida em 14 escolas do Ensino Fundamental I, que atendem alunos de 09 a 11 anos. A ação social tem apoio da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e da Associação Paulista de Magistrados (Apamagis).
Na primeira etapa, em julho, foi distribuída a Cartilha da Justiça aos alunos e professores. O conteúdo foi desenvolvido em sala de aula, englobando diversas atividades, como redações, desenhos, poesias e jograis relacionados ao tema.
Com quadrinhos e linguagem atual, a cartilha mostra como funciona o Poder Judiciário e demais instituições do sistema de Justiça, como Ministério Público, Defensoria Pública, Polícias Civil e Militar, além da Advocacia. Os direitos e deveres também fizeram parte da tônica de discussão, mostrando a importância da ética.
A segunda etapa da ação social levou profissionais envolvidos às escolas para um bate-papo. O coordenador do projeto, o juiz José Roberto Lopes Fernandes, esteve no encontro com os alunos, além do juiz Alcêu Corrêa Júnior, promotores de Justiça, delegados, policiais militares, advogados, defensores e guardas civis municipais.
“Desde a primeira edição, a visita às escolas se revelou uma experiência pessoal fantástica, proveitosa e, também, de muito aprendizado. O programa tem por objetivo despertar, senão o gosto por uma das carreiras jurídicas, a consciência da cidadania, afastando-os da marginalidade e da violência, formando, assim, melhores cidadãos para nosso futuro”, destaca o juiz José Roberto Lopes Fernandes.

Ariane Pio
Da Reportagem Local