Cidades

Saiba Como Identificar E Combater As Notícias Falsas

Sem dúvidas, as notícias falsas têm ganhado cada vez mais força nas mídias sociais. Quem nunca recebeu uma notícia bombástica ou sensacionalista por WhatsApp ou grupos no Facebook? Com o intuito de instruir os leitores sobre como identificar e combater a propagação das desinformações (popularmente conhecidas como Fake News), a equipe do O Regional reuniu jornalistas para dar dicas sobre o assunto.
“As redes sociais acabaram, de certa forma, democratizando o acesso à informação, mas também abriram espaço para que pessoas que não são jornalistas ou que não trabalham com informação, confundissem a liberdade de expressão com a informação, o que resulta em notícias falsas e não checadas. É percebido que, também com pessoas mal intencionadas, isso gera uma confusão na sociedade, já que, mesmo sabidamente falsas, elas atendem a certos interesses”, afirma o jornalista Fabrício Carareto, falando sobre o impacto das notícias falsas na perspectiva da população.
Notícias muito bombásticas, que apelam e beiram ao sensacionalismo, sem vir de um jornal/portal de confiança, devem ser alvos de desconfiança. “em muitos casos o que vemos são pessoas sem formação, voluntariosas, munidas de um celular com câmera e desprovidas de responsabilidade e de qualquer senso ético ou jornalístico, que pensam apenas em cliques para suas páginas. Estão preocupadas apenas com o alcance de suas páginas e não com os impactos terríveis que uma notícia mal divulgada pode vir a ter na vida de uma pessoa”, diz o jornalista e assessor Rodrigo Ferrari.
Antes de compartilhar um texto ou postá-lo em uma rede social, é necessário que o leitor se atente a palavras com letras maiúsculas, exclamações, abreviações, erros de ortografia e excesso de adjetivos. É necessária a cautela, também, caso haja muitas opiniões, títulos expressivos e dados sem indicação de fonte. “Também é muito comum que essas páginas caça-cliques passem a servir a interesses de determinados grupos políticos, seja bajulando um lado, seja desferindo ataques baixos e desinformação contra adversários”, continua Rodrigo.
O jornalista de credibilidade, que checa as informações e luta para que a verdade prevaleça e seja passada à população, luta contra essa onda de informações falsas. “Isso prejudica, e muito, quem trabalha com a informação, que somos nós, jornalistas. É algo que precisa ser combatido pelo jornalismo de forma forte para o bem dos cidadãos”, finaliza Fabrício. Abaixo, algumas dicas dadas por Rodrigo de como se proteger contra as Fake News:

Na dúvida, não
compartilhe:
“O Google existe para ser usado. Antes de compartilhar algo, procure checar a informação em diferentes fontes, inclusive em sites que são citados como a origem da informação”.

Duvidar e questionar:
“A essência do bom jornalismo é duvidar e questionar. Portanto, duvide da informação voluntariosa que chega até você. Lembre-se que a pessoa que te passa correntes de (des)informação tem seus interesses políticos próprios. Ela não está preocupada em difundir a informação correta, mas sim em fazer com que suas visões políticas prevaleçam sobre as demais. Portanto, cada vez que você deixa de compartilhar uma corrente que um tio ou um amigo repassou, você está contribuindo para deixar o mundo menos autoritário”.

Leitura crítica:
“Procure estabelecer uma leitura crítica das notícias. O jornalismo é um método. Procure analisar se a notícia contempla diferentes pontos de vista, se cita fontes confiáveis de informação, se apresenta um trabalho meticuloso de apuração, se tem exatidão nos detalhes e se traz provas documentais daquilo que está sendo reportado. Quanto menos dos elementos citados acima a notícia tiver, menos credibilidade ela merece”.

Da Reportagem Local

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

/* ]]> */