Cidades

Regulagem Certa Do Banco Da Bicicleta Pode Ajudar Na Saúde

Seja para fugir do trânsito ou do transporte público lotado, seja para praticar uma atividade física e ganhar saúde, as bicicletas ocupam cada vez mais espaço nas ruas das cidades. Para que o exercício físico ou a viagem seja prazeroso e você tenha conforto e bom desempenho ao pedalar, inúmeros aspectos devem ser levados em conta em uma bike, como o tamanho do quadro, o aro da roda, a altura do guidão, a quantidade de marchas etc. Mas um ajuste essencial para isso, muito simples e que todo mundo deve sempre fazer ao subir em uma magrela é a regulagem da altura do banco (selim).
Segundo Hidalgo Amarantes, apaixonado por bicicletas e pedalar, ao subir em uma bicicleta com o banco baixo, você precisa flexionar os joelhos em um ângulo maior do que 90 graus, o que aumenta a pressão interna na articulação e pode levar a um processo inflamatório. Além disso, não consegue usar toda a força das pernas, pois não as estende e ainda tende a curvar a coluna lombar para ajudar no movimento, sobrecarregando a região e gerando dores.
Hidalgo conta que uma maneira fácil e rápida de regular a altura do selim é ficar em pé ao lado da bicicleta e ajustar o banco de modo que ele fique alinhado com o trocânter maior do fêmur, ou seja, a proeminência óssea que temos na lateral da coxa, na altura do quadril. “O modo mais preciso para saber se o banco está posicionado corretamente é subir na bike, posicionar um dos calcanhares no pedal e girá-lo até sua posição mais baixa onde ficaria o número 6 de um relógio de ponteiro. A altura do banco estará certa se ao fazer isso a perna que está no pedal ficar quase estendida e joelho em um ângulo de no máximo 15 graus” explica o ciclista.
É importante saber que usar um banco muito alto também não é indicado, pois diminui a eficiência da pedalada e pode gerar lesões em longo prazo.
“Se você faz curtos trajetos de bike, além do ajuste correto do banco da bicicleta e de variar a posição ao pedalar, alongamentos diários podem ajudar a minimizar dores posturais e por sobrecarga mecânica”, indica Hidalgo. Já para quem percorre trechos mais longos o indicado é investir em exercícios de fortalecimento para deixar o corpo mais bem preparado para suportar as exigências da atividade física.

Ariane Pio
Da Reportagem Local