Cidades

Queimadas nas Rodovias Mantêm ‘Média’, Mas Número Pode Disparar

A maior quantidade de focos de incêndio foi registrada na rodovia Comendador Pedro Monteleone (O Regional)
Assine

As queimadas nas ro­dovias que cortam Ca­­tanduva mantêm a mesma média nos últimos dois anos, mas o número po­de disparar. O motivo é que a seca de 2018 começou mais cedo e deve se prolongar na região. Foram nove focos de queimadas no período de ja­neiro a junho do ano passado e no mesmo período deste ano.
A maior quantidade de incêndios foi registrada na rodovia Comendador Pedro Monteleone (SP-351) que liga Catanduva a Bebedouro. Enquanto que em 2017 foram dois registros, no mesmo pe­ríodo deste ano o número sal­tou para seis, o que corres­pon­de a um aumento de 200%. Recentemente nossa reportagem acompanhou pelo menos três focos de incêndio no trecho, o que faz com que esse resultado fique ainda mais expressivo.
A TEBE, concessionária que administra a rodovia, informa que as orientações aos usuários sobre a preven­ção das queimadas são inseri­das nos painéis de mensagens da concessionária, que estão instalados ao longo das vias.
Já na rodovia Washington Luís (SP-310) houve queda no número de focos de incên­dios, desta vez de 57%. En­quanto em 2017 foram conta­bilizadas sete ocorrên­cias no período de janeiro a junho, no mesmo período deste ano foram três focos de incêndios.
A AB Triângulo do Sol aponta que anualmente, apoia a Operação Corta Fogo, rea­lizada pela Secretaria Esta­du­al do Meio Ambiente, “com o objetivo de ajudar a minimizar as consequências do fogo na vegetação e preservar a se­gu­rança dos usuários das rodo­vias”, informa.
Além disso, diz que man­tém os trabalhos de roçada, ca­­pina e recolhimento de mas­sa verde diariamente. Pa­­ra impedir que eventuais fo­cos em áreas particulares a­­van­­cem para a faixa de do­mí­­nio, os aceiros foram intensi­fi­cados. “A concessionária con­ta, ainda, com recursos operacionais voltados para o combate a focos de incêndio para apoio ao Corpo de Bom­beiros e realiza monitora­mento de todo o trecho sob con­cessão 24 horas por dia, por meio de suas equipes de inspeção de tráfego”, infor­ma.

Bituca é uma das principais causas
A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) aponta que uma das principais causas de queima­das nas rodovias é quando o motorista joga pontas de ci­gar­ros pelas janelas dos veí­culos. A bituca, quando acesa, serve de combustível para o incêndio na vegetação seca. Outros fatores são o uso de fogo para a limpeza de ter­re­nos, queima de lixo, foguei­ras, queimadas para fins agrí­colas não autorizadas e as que­das de balões. “Nas fai­xas de domínio das rodovias, boa parte dos focos é provo­cada pela própria população vi­zinha à estrada ou transe­un­tes, principalmente nas áreas mais próximas aos aglome­ra­dos urbanos. Por isso toda a vi­gilância é necessária”, in­for­­ma a Artesp.
Para se ter uma ideia, no ano passado, foram regis­tra­das, em todas as rodovias pau­listas, 6.063 queimadas, sendo que desse número, 3.835 ou seja (63,2%) foram no período entre julho, agosto e setembro. O mês mais crí­tico foi o de setembro, com 1.455 ocorrências. Além da questão ambiental, quando o fogo se alastra nas rodovias, ocorre a falta de segurança para os motoristas, já que a fumaça reduz a visibilidade.
Entre as dicas de segurança para prevenir acidentes estão: fechar os vidros do veículo, manter distância segura do carro ou caminhão da frente, trafegar com o farol baixo aceso, não ligar o pisca alerta com o veículo em movimento e não parar na faixa de rola­mento.
Nessa época do ano os tra­balhos de prevenção e comba­te as queimadas são intensi­fi­cados. “Os funcionários que trabalham na inspeção de tráfego – que circulam em via­turas pelo trecho conce­di­do para atendimento aos usu­ários – levam nos veículos a­ba­fadores para iniciar o com­bate a pequenos focos de incêndios. Algumas dessas via­turas são equipadas, inclu­sive, com pequenos tanques de água para auxiliar no com­bate às chamas”, reforça a Artesp.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local



Assine O Regional

Digital Mensal
R$19,90 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
Digital + Impresso (Sáb e Dom)
R$41,70 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal impresso aos sábados e domingos
Digital + Impresso (Ter a Dom)
R$65,90 / mês
  • Acesso Total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal Impresso de terça a domingo