Cidades

Psicóloga Dá Dicas de Como Manter a Saúde Mental em Tempo de Quarentena

Divulgação

A necessidade de isolamento para conter a disseminação do Coronavírus (Covid-19) pode provocar estresse e ansiedade nas pessoas, por isso, para lidar com a situação atual é necessário cuidar da saúde mental também. Afinal, somos seres humanos e, por mais que esqueçamos isso na maior parte do tempo, somos frágeis.
Em entrevista ao Jornal O Regional, a Psicóloga Roberta Davanzo deu dicas de como se adaptar ao isolamento social. “Todos nós sabemos que estamos em fase ruim, ninguém esperava por um golpe desses. Covid19 é muito mais que um vírus, ele está matando nossa economia, está tirando nossa calma e o isolamento social pode trazer impactos negativos à saúde mental. Estamos tentando nos adaptar ao ‘home office’, o trabalho remoto, tentando manter o diálogo com familiares e amigos, ainda que à distância, buscando formas de entretenimento, lazer e cuidados sem sair de casa. A quarentena pode ser o momento de traçar estratégias que livrem os idosos de problemas emocionais, da depressão, esse momento onde eles são considerados o ‘grupo de risco’ pode piorar as doenças crônicas, por exemplo, temos que ter um olhar diferenciado para nossos idosos. Não é fácil nos adaptarmos a tudo isso, até “ontem” não tínhamos todas essas preocupações, não tínhamos tempo para nossa casa, não tínhamos tempo para ler um livro, limpar nossos armários, assistir um filme e agora temos todo tempo e não sabemos o que fazer com ele, por que não fomos preparados para tal colapso. Com a população cumprindo o isolamento social, fator que nos protege, mas que vem causando malefícios, danos psicológicos, problemas mentais podem ser causados ou agravados pelo momento, essa incerteza do amanhã, o medo de contrairmos a doença, pessoas que já sofrem com síndrome do pânico, depressão, ansiedade, podem ter um quadro clinico de piora, a quarentena pode trazer tudo isso para vida das pessoas, que não estão conseguindo ‘lidar’ com o isolamento, ressaltando que todos reagimos de maneiras diferentes a situações estressantes”, explicou.
A doutora ainda contou como a tecnologia pode utilizada de maneira favorável à quarentena. “A tecnologia pode ser utilizada nesse momento, ‘devido ao avanço do coronavírus e pensando na garantia do acesso da população ao atendimento psicológico, o Conselho Regional de Psicologia de São Paulo decidiu oferecer serviços psicológicos por meio da tecnologia da informação e comunicação no período em que durar a pandemia do coronavírus’ (informativo@crpsp), nesse cenário Psicólogo está prestando esse serviço, Psicoterapia online (sem o cadastro obrigatório e-Psi para a prestação de serviços online), visando responsabilidade social, promovendo a saúde e a qualidade de vida das pessoas.
Além da sensação de “prisão”, pelo isolamento, outro aspecto que pode vir a ser prejudicial é a avalanche de informações, um excesso de fake news (notícias falsas), precisamos ter muita atenção no que recebemos e principalmente no que repassamos, pois, a junção de tudo isso pode, sim, nos causar episódios depressivos entre outras coisas, ainda mais se a pessoa já tiver uma predisposição”, complementou a psicóloga.
O isolamento social pode causar diversos malefícios à saúde física também. “Além da sensação de “prisão”, pelo isolamento, outro aspecto que pode vir a ser prejudicial é a avalanche de informações, um excesso de fake news (notícias falsas), precisamos ter muita atenção no que recebemos e principalmente no que repassamos, pois, a junção de tudo isso pode, sim, nos causar episódios depressivos entre outras coisas, ainda mais se a pessoa já tiver uma predisposição”, salientou.
Há recomendações especiais para os idosos. “Um ponto importante é não deixarmos o isolamento social passar de temporário para um isolamento emocional permanente, principalmente na vida dos idosos, por isso o cuidado com a saúde mental. Para minimizar esses impactos, tentar se ocupar é muito importante, faça Psicoterapia online, utilize as redes sociais como forma de interação com os amigos e a família, pare e preste atenção nas suas próprias necessidades e sentimentos, procure atividades que você goste, faça exercícios regularmente, mesmo que adaptados, dentro de casa, não vamos subestimar as recomendações dadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde), procure se alimentar de forma saudável, mantenha uma rotina de sono e espalhe histórias positivas. Tudo isso vai colaborar com o corpo e a mente, nesse período de isolamento. O isolamento tem seu lado bom, você está no melhor lugar que poderia estar, no seu lar, cercado de quem você ama. Nós psicólogos nos colocarmos a disposição, pois mais do que nunca precisamos manter nossa saúde mental em dia”, finalizou Roberta.

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local

%d blogueiros gostam disto: