Cidades

Projeto Retira Mais de 15 Toneladas de Lixo dos Rios da Região

Entre os itens, estão bicicletas, churrasqueiras, pneus, portas e janelas (Divulgação Projeto Rio Limpo)
Assine

15 toneladas – é essa a quantidade de lixo que já foi retirada dos rios da região. Entre os itens, estão bicicletas, churrasqueiras, pneus, portas e janelas. A ação do bem, que recebeu o nome de Rio Limpo, conta com 100 voluntários, dentre eles 10 catanduvenses. A próxima parada é Novo Horizonte no mês que vem.
Em entrevista ao O Regional, o voluntário Flavio Garcia Leal, conta que tem uma turma de amigos que pratica a pesca subaquática, que é uma modalidade amadora. Foi a partir daí que surgiu a iniciativa. “Então a gente pratica por hobby, quando vamos pescar na temporada que está aberta, nós sempre vemos nos nossos mergulhos muito lixo, como garrafa pet, latinha, sacola e a gente acaba retirando isso. Ai surgiu a ideia de na Piracema, que é o período em que a gente não pode pescar, de reunir todo mundo para fazer o trabalho, focado em remover o lixo. Foi da união desses amigos que surgiu o Projeto Rio Limpo”, disse. A iniciativa começou na Piracema entre os anos de 2016 e 2017 quando foram feitas quatro ações. Uma delas no rio Tietê e as demais nas prainhas de Ubarana, Mendonça e Buritama. “Nessa temporada voltamos em Urbana, fizemos Sales e agora surgiu o convite para fazer em Novo Horizonte no dia 29 de abril. Entre os voluntários, temos 40 mergulhadores”, conta.
A ação é feita em parceira com as Prefeituras Municipais e a Polícia Ambiental que orienta e dá suporte para os mergulhadores, já que nessas prainhas existe tráfego intenso de lanchas e jet-skis. “Então o apoio deles é para estar garantindo a segurança dos mergulhadores. A Prefeitura Municipal é quem faz a destinação do lixo no local correto depois de removido dos rios” explica Flávio.
O dia escolhido para a atividade é geralmente o domingo. Onde os voluntários fazem a organização das equipes para a coleta. “Geralmente nos barcos sai uma pessoa pilotando e de quatro a cinco mergulhadores. Os mergulhadores vão enchendo os sacos mergulhando fazendo a coleta na margem também porque a gente não faz só no fundo. Vai coletando, enchendo o barco, quando está cheio vai e leva no ponto de apoio. Depois a prefeitura já carrega os caminhões e faz o destino correto”, complementa o voluntário.
Flávio explica que o objetivo principal do projeto é o da conscientização. “Quem está de fora vê o rio de cima e acha que está tudo lindo, então só nós mesmos, que estamos mergulhando, na prática do nosso esporte, consegue visualizar o quanto de lixo que tem no fundo. Então a gente removendo esse lixo, colocando para fora, muita gente vê e fala – eu não imaginava que tem tudo isso no fundo e tem muito mais. Então o principal objetivo é o de conscientizar as pessoas de que não joguem a sua latinha, sua sacolinha no rio e que quando vão pescar, vão para o rio, que levem o lixo de volta e dê o descarte de maneira correta”, reforça complementando que as águas dos rios são as que bebemos e de onde tiramos os nossos alimentos como o peixe, por isso devemos tratar com cuidado.
“Geralmente encontramos garrafa pet, sacolinha, latinha, mas também já retiramos pneu, chassi de um carro em Mendonça, motor de moto, em Sales pegamos churrasqueira, tiramos duas bicicletas que estavam em baixo da ponte, portas, janelas, roupas. Também já tiramos três barcos, dois em Ubarana e um em Sales, agora esse ano também resgatamos uma enguia que estava presa em uma armadilha de camarão”, disse.
Para aqueles que quiserem participar da ação realizada em Novo Horizonte, basta comparecer no Condomínio Águas Claras. Os portões estarão abertos e todo voluntário é bem-vindo para fazer parte do projeto. “Não precisa ser mergulhador porque a gente tem a equipe que faz a coleta nas margens. Porque geralmente nos pontos onde há muito pescado com pescadores de vara é onde tem mais lixo. O pessoal vai para passar o dia todo, leva as coisas para comer e para beber e as pessoas acabam não lembrando de levar de volta esse lixo”, finaliza.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local




Tags