404 Not Found


nginx
404 Not Found

404 Not Found


nginx
Preço Do Peixe Para Semana Santa Deve Variar e Consumidor Deve Pesquisar - O REGIONAL
Cidades

Preço Do Peixe Para Semana Santa Deve Variar e Consumidor Deve Pesquisar

Segundo pesquisa da Associação Paulista de Supermercado (APAS), o aumento dos pescados deve ficar dentro da média histórica para o período da Semana Santa que acontece de 5 a 11 de abril. Por sofrerem menos choques de oferta e produção, o economista Thiago Berka destaca que desde 2012 os peixes, em geral, sobem 2,46%.
Alguns pescados devem ter a inflação abaixo da prevista, como é o caso do bacalhau, que terá o preço do quilo variando entre R$69 e R$119 dependendo do tipo (dessalgado, tiras, postas, filé e sem espinhas) previsto aumento entre +0,5% a +1%. Como meio para garantir o melhor preço, Berka indica para o consumidor a pesquisa e compra antecipada. “Durante a Semana Santa algumas promoções podem até acontecer, mas, por se tratar de um produto sazonal e importado, o supermercado já sabe até onde podem ir os descontos, já que precisa garantir que não irá ter perdas”, indica Berka.
Em janeiro, as carnes bovinas tiveram quedas médias de -5,32%, porém alguns cortes registram deflação maior, como o caso do Patinho (-10,78%), Filé Mignon (-8,87%), Coxão Duro (-8,71%), Contrafilé (-7,81%), Fraldinha (-6,88%) e Coxão Mole (-6,51%). Segundo o Índice de Preços dos Supermercados (IPS), calculado pela APAS/FIPE, o mês de janeiro registou uma inflação de +0,73% – menor que jan/2019 (+0,98%). No ano passado, o setor fechou com a inflação em 5,73% sendo que em dezembro o índice foi de +2,41%.
O motivo da queda para o consumidor está no preço da arroba, que caiu de R$ 231 para R$ 193. “Devemos ter novas quedas da proteína bovina em fevereiro, uma vez que demora de um a dois meses para que queda efetivamente chegue ao consumidor. Assim que os estoques caírem e os supermercadistas realizarem novas compras com frigoríficos, o preço deve continuar caindo para o cliente, mas dificilmente os preços irão se recuperar do aumento de +30% praticado no fim de 2019, destaca o economista.

Ariane Pio
Da Reportagem Local

%d blogueiros gostam disto: