Início - Preço do Gás de Cozinha Pode Chegar a R$ 78 em Catanduva
Cidades

Preço do Gás de Cozinha Pode Chegar a R$ 78 em Catanduva

Gás ficará mais caro ainda nesta semana (Divulgação)

O preço do gás de cozinha pode chegar a R$ 78 nesta semana em Catanduva. Foram dois reajustes anunciados neste mês, o primeiro da Petrobras e o segundo do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Esses valores já teriam sido apresentados aos revendedores que devem analisar o dia em que repassarão para cada consumidor.
O aumento da Petrobras foi de 4,4%, de acordo com os relatos dos representantes. O anúncio foi feito no início do mês. O mais recente, que foi comunicado ontem (16) é de R$ 0,64 em todo Estado de São Paulo por conta do imposto. Dados da Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostram que na primeira semana de julho o valor médio para o GLP de 13 quilos chegava a R$ 69,50, com preço médio ente R$ 65 e R$ 75.
“Já éramos para estar vendendo a esse valor (com reajuste), porém, a clandestinidade não deixa. Vamos ver até quando eles aguentarão sem reajuste. Estamos esperando a reação do mercado”, comentam. Os revendedores apontam que o problema na Cidade Feitiço, seria a revenda irregular de botijões sem segurança.
Em março deste ano, ajuste de despesas como pedágios, frete e combustíveis resultaram em aumento de R$ 3. Antes do anúncio, o produto tinha preço máximo de R$ 72 e passou para R$ 75.

Cartilha com recomendações
Os revendedores de Catanduva orientam os consumidores a procurarem as recomendações da ANP. Uma cartilha foi disponibilizada pelo órgão. Entre as dicas está a de comprar de um revendedor autorizado. É necessário considerar que as revendas não autorizadas pela ANP deixam de cumprir normas de segurança para armazenamento. O setor aponta que os consumidores devem desconfiar de locais com botijões empilhados na calçada, amarrados a postes ou guardados em locais sem sinalização. Outra dica é a de desconfiar de entregadores sem identificação da distribuidora.
O setor recomenda que na hora da compra é necessário observar o local de venda autorizada. O motivo é que o revendedor autorizado não vende outros produtos na área de armazenamento de botijões e tem o direito de trabalhar com botijões tanto de várias distribuidoras como de apenas uma empresa. Os revendedores autorizados mantém visível o quatro de aviso da ANP que é obrigatório.
Aqueles que têm autorização para a venda podem entregar o botijão em casa mas não são obrigados a levar a balança para a pesagem. É importante verificar se o veículo de entrega exibe o nome e o número de telefone da distribuidora. Outra orientação é a de nunca comprar botijão danificado, amassado ou enferrujado.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local

Tags