Cidades

Pesquisadores Desenvolvem Coletor Solar Por Tubo Evacuado

Assine

Pesquisadores do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP Catanduva) em parceria com as Universidades UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro) e UFU (Universidade Federal de Uberlândia) desenvolveram coletor solar por tubo evacuado. A pesquisa utiliza o que tem de mais recente na tecnologia, o grafeno. O estudo foi publicado em revista científica internacional.
O experimento transfere para a água a quantidade maior de calor que os coletores convencionais por placas planas e contribui para várias aplicações, tais como, geração de energia térmica, elétrica, esterilização para hospitais, dentre outros.
A pesquisa tem a frente os professores mestre Pablo Sampaio Gomes Natividade e doutor Elson Avallone do IFSP junto aos professores doutor Rogério Valentim Gelamo e doutor Júlio César de Souza Inácio Gonçalves e mestre Gabriel de Moraes Moura, da UFTM e também o professor doutor Enio Pedone Bandarra Filho, da UFU.
“O aparato experimental utiliza um concentrador solar com espelho de aço inoxidável polido e rastreamento solar. O tubo evacuado transfere para a água uma quantidade muito maior de calor do que os coletores convencionais por placas planas. Esse equipamento tem diversas aplicações como geração de energia térmica, elétrica, esterilização para hospitais, dessalinização de água, entre outros”, explicam os estudiosos.
Segundo os pesquisadores, outra inovação da pesquisa internacional é o uso do grafeno, considerado uma das formas cristalinas do carbono, assim como o diamante, o grafite e os nanotubos de carbono.
“Esse material pode ser considerado tão ou mais revolucionário que o plástico e o silício. A utilização do grafeno diluído na água e o transforma em nanofluído de carbono, aumentando assim a eficiência térmica obtida de 39% para 76%. Mesmo sendo o grafeno um produto caro e escasso, sua concentração no fluido é muito baixa comparada ao efetivo aumento da eficiência térmica”, constatam.
O trabalho foi publicado na revista internacional ‘Renewable Energy’ da editora Elsevier e pode ser acessado pelo link: https://doi.org/10.1016/j.renene.2019.01.091. “O trabalho foi publicado om o mais alto Qualis (A1) da CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) e Fator de Impacto 4,9 (2018), com financiamento do CNPq e FAPEMIG Nacional de Grafite Ltda”, afirmam.
Em Catanduva, os professores do IFSP Catanduva continuam desenvolvendo trabalhos voltados à área de energia, por meio do grupo de pesquisas ENACO (Energia e Aplicações Correlatas).

Karla Sibro
Da Reportagem Local