Início - “O Natal Traz à Maioria da População um Sentimento de Solidariedade”, Diz Bispo
Cidades

“O Natal Traz à Maioria da População um Sentimento de Solidariedade”, Diz Bispo

LEGENDA: BISPO Dom Otacílio desejou “Um Feliz e Santo Natal a todos!”

Religioso avalia que existe atualmente uma inversão do sentido da data comemorativa.

Nathália Silva

Da Reportagem Local

“O Natal traz à maioria da população um sentimento de solidariedade”. Essa é a opinião do bispo da Diocese de Catanduva, Otacílio Luziano da Silva, sobre a influência que o Natal exerce sobre as pessoas.

Chamado a uma reflexão sobre a data em que a igreja católica comemora o nascimento de Jesus Cristo, o despertar de sentimentos de solidariedade e a busca constante pela paz em tempos de tanto conflito, o religioso aceitou o desafio.

“O Natal, para nós cristãos, é a maior expressão de amor que Deus demonstrou por todos os seres humanos. Ele decidiu enviar seu Filho único a este mundo com o único intuito de Salvar e Libertar a humanidade da morte e de todo o pecado. O Natal traz à maioria da população um sentimento de solidariedade, companheirismo e desejo de ajuda mútua, de uma maneira especial aos mais necessitados. Noto que esta data tem a capacidade de despertar nas pessoas um espírito caritativo, mesmo naquelas que não vivem a fé cristã. Jesus também atua fora dos ambientes cristãos”, analisou o bispo.

Para Dom Otacílio, diante de tantos tipos de violência, pessoas cometendo atos de terrorismo, alguns em nome de um deus, violência no desrespeito da direitos básicos de muitos povos, época de tão evidente práticas de corrupção, o simbolismo do Natal pode levar as pessoas a refletirem mais sobre a paz tão perseguida pela maior parte da humanidade. Para o religioso existe receita para a paz.

“Acredito que sim, porém para atingirmos a paz duradoura, permanente e eficiente ela deve ser buscada e praticada durante o ano todo, caso contrário ficará apenas em um sentimentalismo que terminará logo após o Natal. Ao meu ver, sim (existe receita). É vivenciarmos e propagarmos a Paz de Jesus Cristo. Outros modelos de Paz sempre estão acompanhados de interesses puramente pessoais ou de grupos. São projetos puramente individualista e egoístas”, aconselhou.

Não é só consumo

O religioso reconhece que, o significado religioso do Natal tem sido, muitas vezes, ofuscado pelo consumismo. “Há uma invasão comercial e financeira em nossas vidas que poderá ocupar o lugar do real significado do Natal para nós. No entanto, as pessoas que participam ativamente da fé, meditando constantemente a Palavra de Deus e ouvindo atentamente os ensinamentos da Igreja conseguem se defender melhor deste perigo. O desejo de que tenhamos a coragem de renunciar muitos de nossos projetos, que só nos levam a atitudes de desamor, para abraçarmos os projetos de Jesus Cristo, que sempre será a melhor solução para nos colocar em uma vivência verdadeiramente equilibrada”, completou o Bispo.