Cidades

O Limão É A Fruta Que Alavanca A Economia De Catanduva E Região

O limão se tornou uma das principais atividades agrícolas de Catanduva, e uma importante alavanca para a economia na região. A espécie Taiti é a que possui maior investimento dos produtores locais, por ser muito apreciada para a exportação, sendo uma das frutas mais procuradas pelo comércio exterior.
Cultivado desde o século passado na Califórnia, EUA, admite-se que sua introdução ali se tenha feito a partir de sementes de frutos importados do Taiti, derivando-se daí sua denominação. No Brasil, o Taiti é uma das espécies cítricas de maior importância comercial.
Em Catanduva, a quantidade de novos pés quase triplicou em 2019 em comparação ao ano de 2017. Em Itajobi, onde mais se produz o fruto na região, os produtores já comercializaram 6,7 milhões de caixas só neste ano. De acordo com dados da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, nos últimos anos, o interesse pela produção de limão na região disparou. No município de Catanduva, por exemplo, o número de novos pés em 2017 era de 10 mil e neste ano, já são mais de 27 mil, quase o triplo.
Itajobi, considerada a capital do limão, obviamente é a que mais produz o fruto na região, com 1 milhão e 500 mil pés de limão atualmente em produção, o que significa, só para este ano, 6 milhões e 750 mil caixas de 27 quilos vendidas. “Hoje, o limão é a atividade que mais emprega em Itajobi e na maior parte da região de Catanduva. Eu diria que é o nosso “ouro verde”, pois essa fruta é responsável pelo sustento de muitas famílias e é praticamente uma alavanca para a economia local”, conta o produtor Adriano Valentim Castelete.
Para o diretor técnico da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável (CDRS) de Catanduva, Cláudio Giusti de Souza, o aumento do plantio do limão em Catanduva e na região se deve, principalmente, à devolução de áreas rurais por usinas de cana-de-açúcar. “Muitos produtores viram o crescimento do limão e voltaram a acreditar na fruta, substituindo não só a cana, mas a seringueira e até mesmo o café”, explicou.
Boa parte do limão produzido na região é destinada à exportação. De acordo com os dados do Instituto de Economia Agrícola (IEA), o Brasil exportou 97.501.899 quilos de limão no ano passado, 5 milhões a mais que em 2017. Somente o estado de São Paulo foi responsável por 51.181.145 quilos (52,5% do total exportado), gerando uma receita de US$ 47.862.892.

André Santos
Da Reportagem Local