Cidades

Nutricionista Dá Dicas de Como Montar a Lancheira Ideal Para as Crianças

DEVE ter na lancheira uma proteína, uma fruta e um carboidrato (Divulgação)
Assine

A nutricionista Letícia Figueiredo Tuma dá dicas de como montar a lancheira ideal dos filhos com alimentos saudáveis. A dúvida surge na hora de montar, o que por? Qual deve ser o alimento ideal de acordo com a necessidade diária do meu filho? Como fazer meu filho comer um alimento saudável se ele vê o coleguinha comer um alimento nada saudável? Essas e outras perguntas deixam as mães na hora de montar a lancheira do filho em uma enrascada.
De acordo com a nutricionista, especialista em nutrição de criança e de adolescência e pós-graduada em nutrição clínica funcional, a lancheira sempre deve ter uma proteína, uma fruta e um carboidrato.
“De uma maneira geral, deve se levar um alimento de cada grupo alimentar, ou seja, uma fonte de proteína (iogurte, queijo, leite), uma fruta (tanto in natura quanto o suco sem açúcar) e um carboidrato (pães e cereais)”, diz.
Alguns alimentos devem ser evitados, principalmente por apresentarem alto índice de açúcar e por serem industrializados.
“Bolachas, salgadinhos, bisnaguinhas, suco de caixinha, refrigerante, chocolates devem ser evitados, pois possuem baixo valor nutricional (alimentos que chamamos de calorias vazias) e apresentam altas quantidades de açucares, gorduras e aditivos químicos”, orienta.
A especialista orienta ainda que o cardápio deve ser diversificado para a criança não enjoar e a mãe deve pedir a ajuda do filho na hora de montar para saber quais são seus alimentos prediletos.
“Em primeiro lugar, é preciso levar em conta o período em que a criança estuda e a refeição que fez antes de ir à escola. Pedir a opinião do filho e chamá-lo para ajudar no preparo ajuda na aceitação do lanche. Outra dica é variar sempre o cardápio para a criança provar sempre novos alimentos e também não enjoar”, constata.
Os alimentos industrializados apresentam risco à saúde e a prevenção de consumo deve ser realizada desde o início da vida.
“O consumo de alimentos industrializados aumentam o risco do desenvolvimento de doenças crônicas como hipertensão (aumento da pressão arterial), diabetes, dislipidemia (aumento do colesterol). Esses alimentos por vezes contem corantes que estão relacionados à hiperatividade em crianças. É muito importante orientar a prevenção deste tipo de alimentos desde a infância sugerindo trocas por alimentos mais naturais como sucos de frutas, lanches e bolos caseiros”, destaca.
A conscientização é o principal fator que deve ser trabalhado na criança.
“A conscientização da criança envolve um trabalho de reeducação alimentar valorizando a forma de apresentação dos alimentos e incentivo dos pais e professores no momento do lanche escolar”, finaliza Letícia.

Karla Sibro
Da Reportagem Local



Assine O Regional

Digital Mensal
R$19,90 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
Digital + Impresso (Sáb e Dom)
R$41,70 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal impresso aos sábados e domingos
Digital + Impresso (Ter a Dom)
R$65,90 / mês
  • Acesso Total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal Impresso de terça a domingo