Início - Negligência no Combate ao Aedes Gera R$ 26 Mil em Multas
Cidades

Negligência no Combate ao Aedes Gera R$ 26 Mil em Multas

EQUIPE da dengue está intensificando as visitas para combates os focos do mosquito (Divulgação)

A negligência no combate ao Aedes aegypti gerou R$ 26 mil em multas em 2016 em Catanduva. Os dados são da Secretaria Municipal de Saúde que realizou 33 multas no ano passado. Já neste ano, 20 autuações foram registradas. O valor deste ano, não foi informado pela Saúde.
De acordo com o setor, o responsável do imóvel é multado quando são encontrados focos do Aedes aegypti.A multa mais frequente gira em torno de R$ 501,40.
“Em caso de reincidência, a quantia é acrescida. Para isso, são analisados vários quesitos para a aplicação da nova multa, como por exemplo, o número de focos encontrados, a frequência do encontro desses focos, o tipo do imóvel, se há circulação de pessoas e se é destinado a crianças ou idoso”, informa a pasta.
Ainda de acordo com a Saúde, o dinheiro arrecadado com as multas é destinado a uma conta específica da Vigilância Sanitária e deverá ser utilizado para ações do próprio setor.
A secretaria orienta sobre medidas para evitar proliferação do Aedes, dentre elas, cobrir ou furar pneus; usar areia grossa em pratos de vasos de flores; ensacar e jogar no lixo vasilhames que possam acumular água; virar de boca para baixo garrafas vazias; tampar as caixas d’água, tratar a gaveta de água da geladeira e ralos com produtos alternativos como cloro, detergente ou salmoura; dentre outras.
Essas e outras medidas devem ser tomadas com frequência para evitar qualquer possibilidade de proliferação do mosquito.

A Saúde alerta que, a chance de aparecimento de criadouros do mosquito aumenta nessa época do ano, “devido à maior incidência de chuvas. Frente a essa condição, a atenção também precisa ser maior”, diz.
Para combater o Aedes, a EMCAa está realizando um trabalho intenso de vistoria de terça-feira a sábado, com descanso aos domingos e às segundas-feiras.
Conforme anunciado pela reportagem de O Regional no último domingo (26), a ação tem como objetivo evitar possível surto de febre chikungunya. Isso porque o município faz parte de uma região endêmica que tem aumentado o número de doenças acometidas pelos Aedes.
O resultado recomendado pelo Ministério da Saúde é de 1% em relação ao nível de infestação de larvas do Aedes e o município catanduvense registrou 2,2% em outubro.
“A equipe tem se empenhado em realizar as visitas casa a casa, vistoriando e fornecendo informações aos moradores para combate do mosquito. Também são recebidas denúncias e agendadas visitas através do Disk Dengue. Além disso, para cada caso suspeito existe o bloqueio contra criadouros e, se confirmado, a nebulização é realizada”, conclui a Pasta.

Karla Sibro
Da Reportagem Local