Cidades

‘Não tem Como Não se Emocionar Depois de Ver Que Sua Ajuda Fez a Diferença’

Flávio Augusto Barroso, de 29 anos é especialista em cirurgia geral (Arquivo Pessoal)

“Embora não possamos deixar a emoção aflorar em situações de urgência, não tem como não se emocionar depois de ver que sua ajuda fez a diferença seja em um acidentado, seja no nascimento de uma criança, ou num agradecimento de um familiar, vendo que você deu o seu máximo para ajudar o seu parente”- é essa a melhor recompensa que o médico Flávio Augusto Barroso, de 29 anos, especialista em cirurgia geral, aponta para a profissão.
Hoje é Dia do Médico, data em que eles, que também são considerados anjos para tantas e tantas pessoas, merecem não só ser lembrados, como também homenageados. A inspiração na área da saúde para Flávio veio de casa. “Meu pai é psiquiatra e minha mãe é psicóloga. Desde criança vejo o amor que tratam seus pacientes e o quanto são realizados nas suas profissões. Com certeza eu ter escolhido a medicina é na inspiração constante e diária que tive e continuo tendo com eles”, comenta.
O que o motiva a cada dia na profissão e que deveria motivar também as pessoas que buscam a carreira médica é o fato de sempre tentar ajudar o paciente. “Digo tentar pelo fato de que algumas vezes não conseguiremos devido à doença em si, mas é nosso dever, assim como os outros profissionais da saúde, estar do seu lado num momento tão difícil e desafiador. Entretanto, existem momentos em que conseguimos fazer a diferença e que felizmente são a grande maioria. Aí sim, é muito gratificante saber e sentir a melhora de uma pessoa que você às vezes nem conhece, mas sabe que fez o seu melhor pra ajudá-la”, explica.
Flávio é formado em Medicina pela Unifipa e atua na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). Ele destaca que no trabalho também tem outras inspirações. “Trabalho com excelentes profissionais, desde enfermeiros, técnicos, socorristas, atendentes e tantos outros. Escolhi esses lugares por serem muitas vezes, o primeiro contato com paciente graves e situações de estresse. Nesses momentos, a calma e competência são essenciais para um bom atendimento médico”, reforça.
Sobre os relatos das experiências das quais já fez parte, ele aponta que todos que envolvam crianças são os mais especiais. “Um exemplo seria uma mãe que telefona ao SAMU angustiada, pois seu filho está engasgado e você precisa orientar manobras de salvamento enquanto a ambulância está a caminho. É um dos únicos momentos em que você torce para o bebê chorar, mostrando que desengasgou”, afirma.
Flávio destaca que lidar com urgências médicas, na maioria das vezes, é começar perdendo uma “final de campeonato”. “Pois você chega ao local da ocorrência sempre atrasado. Com uma equipe competente, é nosso dever tentar o empate e até uma ‘virada’ visando o melhor para o paciente”, reforça.
A mensagem que o médico deixa para a data é não só para ele, como também para tantos outros colegas de profissão. “Devemos valorizar esses profissionais que trabalham com o único objetivo de ajudar o próximo. Somos tentados a acreditar que acidentes ou doenças não acontecerão conosco…mas se caso acontecer, devemos ter a certeza de que sempre haverá um médico pra te ajudar”, finaliza.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local