Cidades

Na Contramão do Mínimo, Renda do Catanduvense Cai 13% em Dez Anos

Catanduva ficou na posição de número 192 entre as cidades com os maiores salários (O Regional)
Assine
O salário mínimo su­­biu 151% em dez a­­­nos, passou de R$ 350 para R$ 880 em todo ter­­­ritório paulista, mas em Ca­­tan­duva, apesar dessa alta, a renda para o trabalhador que vive na cidade segue em que­­da, desta vez de 13% no mes­­mo período. O motivo? É que o salário médio mensal do ca­­tanduvense foi de 2,9 para 2,5 no período de 2006 a 2016.
Os dados, que são os mais re­­centes, constam no Cadas­­tro Central de Empresas (CEMPRE), sistema do Insti­tuto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levanta­mento mostra que desde 2008 o salário mínimo médio men­­sal do catanduvense vem ca­in­­do. Foi de 2,7 em 2008 e 2009, passou para 2,6 em 2010, teve um leve aumento e voltou para 2,7 em 2011, depois caiu para 2,4 nos anos de 2012 e 2013 e chegou a 2,5 em 2014. No ano seguinte foi para 2,6 salários mínimos.
O estudo mostra que a­pe­sar da renda menor, a quan­ti­dade de pessoas ocupadas as­sa­lariadas em Catanduva au­­mentou 21%. Foi de 27.718 em 2016, para 33.744, o que corresponde a 6.026 pessoas em busca de renda em dez anos.
Quando são analisados os salários e outras remune­ra­çõ­es, o período também acumu­la aumento, mesmo com a que­da nos valores pagos. Pa­­ra se ter uma ideia, a média era de R$ 356 mil para cada mil pessoas em 2006. A quan­­tia foi para R$ 1 milhão para cada mil pessoas que moram na Cidade Feitiço.
Com o resultado de 2016, Catanduva ficou na posição de número 192 entre as cida­­des com os maiores salários do Estado de São Paulo. O pri­­meiro lugar foi para Ga­­vião Peixoto (5,4 salários mí­ni­mos), seguido de Alumínio (5 salários mínimos) e Cuba­tão (4,7 salários mínimos). O me­nor valor pago aos traba­lha­dores, a nível estadual, foi visto em Taguaí que tem mé­dia de 1,3 salários mínimos por mês. Na sequência apare­­ce São Lourenço da Serra (1,4 salários mínimos) e em terceiro Itapirapuã Paulista (1,6 salários mínimos).

No período de 2006 a 2016, Catanduva ganhou 269 novas empresas. Foi de 5.139 no primeiro, para 5.408 no se­­gundo. Apesar do acrés­­ci­­mo das unidades, a partir de 2013 o número vem caindo. Isso porque, naquele ano, e­­ram 5.676 empresas instala­das na Cidade Feitiço, o que cor­­responde ao fechamento de 268 empreendimentos. Em 2014 foi para 5.513 uni­­da­­des, o que corresponde a 163 empresas a menos. Em 2015 chegou a registrar um le­ve aumento, atingindo 5.529 empresas, mas voltou a cair em 2016.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local

 

Assine O Regional

Digital Mensal
R$19,90 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
Digital + Impresso (Sáb e Dom)
R$41,70 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal impresso aos sábados e domingos
Digital + Impresso (Ter a Dom)
R$65,90 / mês
  • Acesso Total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal Impresso de terça a domingo