Cidades

Microempresária do Ramo de Bolos Conta Como Foi do Desemprego ao Sucesso

Luana Lima hoje pode se orgulhar de ser mais uma entre os microempreendedores que, cada vez mais, crescem em Catanduva. Tudo começou em 2017 quando ela e o esposo enfrentavam o desemprego.
“Começamos de início fazer bolos no pote todos os dias, vendíamos nos grupos de vendas, algumas vezes na rua, pra algumas empresas também. Passamos muitas dificuldades, mas com muita dedicação e perseverança vendíamos muito bem, mas não estava sendo mais o suficiente. E logo fiquei grávida, meu esposo desempregado, morando de favor numa casa de fundo de uma igreja, continuamos lutando, conseguimos alugar uma casinha, mas só de bolo no pote não dava pra pagar todas as contas, lembro que na época a nossa geladeira queimou e não tinha mais como fazer os bolos no pote e isso resultou mais uma vez sem renda” lembra Luana.
Mas na Páscoa do ano de 2018 uma grande amiga que também é confeiteira, foi o anjo na vida do casal que perguntou se eu teria interesse em saber como fazer ovos de páscoa, e ela ajudaria com os materiais iniciais.
Para Luana um dos maiores desafios de ser uma microempresária é saber administrar o tempo com a família, porque no começo para conseguir vencer mau dormiam, ficavam até às 3hrs da manhã fazendo recheios e bolos para oferecer sempre o melhor para o cliente.
Outro desafio foi saber lidar com clientes, segundo a microempresária existe de todos os tipos, mas isso não a faz parar pelo contrario a impulsiona a ir mais longe. Tanto que viu a necessidade dos benefícios de abrir um MEI .
“Tive mais facilidade em obter com fornecedores de produtos que eu sempre precisava. E isso também me deu a segurança e a convicção que sou uma microempresária, o MEI abriu muitas portas”.

Ariane Pio
Da Reportagem Local

%d blogueiros gostam disto: