Início - Metade dos Pacientes Não Volta Para Vício em Cigarro Após Tratamento
Cidades

Metade dos Pacientes Não Volta Para Vício em Cigarro Após Tratamento

PROGRAMA oferece tratamento para pacientes que querem parar de fumar (Divulgação)

Dos 88 pacientes que terminam o tratamento para largar de vez o cigarro, 44 não voltaram para o vício. É o que aponta levantamento da Secretaria Municipal de Saúde. Em 2017, foram 101 pessoas que começaram o método com a ajuda do Programa de Controle e Cessação ao Tabagismo de Catanduva. As mulheres são a maioria para a cessação ao tabagismo. Dados revelam que de 2015 a 2017, foram 57% de mulheres e 43% de homens participantes.
“O Programa de Controle e Cessação ao Tabagismo de Catanduva auxiliou 44 pacientes a parar de fumar, em 2017. O número representa 43,5% de sucesso, índice considerado satisfatório pelo Ministério da Saúde. No período, 101 pessoas participaram e 88 concluíram o tratamento oferecido pela Secretaria de Saúde. Outros 44 voltaram para o vício. Boa parte dos pacientes desiste do tratamento já no primeiro ano de acompanhamento especializado. A dificuldade de adesão é apontada como característica de toda dependência química”, informa a Saúde.
Durante o tratamento, os pacientes recebem atendimentos psicoterapêuticos em grupo com abordagem cognitivo-comportamental. Os pacientes também participam de consultas médicas para avaliação clínica e realização de exames e recebem medicações compostas de adesivos de nicotina, gomas e pastilhas de nicotina e de cloridrato de bupropiona. A medicação é fornecida pelo Ministério da Saúde.
Os encontros são semanais no primeiro mês, quinzenais no segundo e passam a ocorrer mensalmente a partir do terceiro. O programa foi implantado em 2005 e desde então 3.722 pacientes já foram atendidos.
“Desses, 1.623 conseguiram largar o vício e permanecerem abstinentes durante os primeiros seis meses a um ano de atendimento. A média de sucesso na cessação ao tabagismo no período é de aproximadamente 43,6%. É um índice bastante considerável, uma vez que o tabagismo é uma doença caracterizada pela dependência à nicotina”, destaca o setor. Os profissionais que compõem o Programa de Cessação do Tabagismo são o médico pneumologista Renato Eugênio Macchione e a psicóloga Fernanda Lins e Freitas.

SERVIÇO
Para se inscrever no Programa de Controle ao Tabagismo, o interessado deve comparecer ao Centro de Reabilitação Integrado (CRI). A unidade está localizada à Rua Aracajú, 285, no Centro de Catanduva. O telefone é o (17) 3525-0900.

Karla Sibro
Da Reportagem Local