Início - Médico Catanduvense Integra Equipe da Esquadrilha da Fumaça

Médico Catanduvense Integra Equipe da Esquadrilha da Fumaça

2º Tenente Igor do Nascimento Sotana, formado na FIPA, está na FAB desde 2014
Enio Franco
Freelancer para o O Regional
Desde janeiro, a Esquadrilha da Fumaça da Força Área Brasileira (FAB) conta com um novo médico: o 2º Tenente Igor do Nascimento Sotana, catanduvense formado em 2013 pelo Curso de Medicina das Faculdades Integradas Padre Albino (FIPA).
O seu ingresso na Esquadrilha da Fumaça é resultado da soma de sua paixão pela medicina, pela aviação e na dedicação ao trabalho voluntário. Muito alegre com a conquista, Sotana disse saber da responsabilidade e do novo desafio que terá pela frente. “Vou encarar o novo desafio como uma grande responsabilidade e com um sentimento de sonho realizado”.
Ele conta que conheceu a instituição quando criança, em uma demonstração aérea no Aeroclube de Catanduva. 
Na época, seu irmão, um grande admirador de aviação, ainda o deu de presente um boné da Esquadrilha, mas ele nunca imaginou que iria trabalhar na instituição futuramente. Ao se formar médico, quis ser voluntário das Forças Armadas e começou a trabalhar na Força Aérea Brasileira (FAB). 
Já em serviço na Academia da Força Aérea (AFA), ele fez o “Curso de Médico do Esquadrão” no Instituto de Medicina Aeroespacial Brigadeiro Médico Roberto Teixeira (IMAE/RJ) e trabalhou no atendimento aos cadetes do 1º Esquadrão de Instrução Aérea (1º EIA).
A vaga de médico na Esquadrilha da Fumaça foi aberta no final de 2015, devido à conclusão do tempo de serviço na FAB do 1º Tenente Médico Novaes, que se dedicou a esquadrilha por mais de três anos.
Assim, o 2º Tenente Sotana foi aprovado no conselho de admissão para ocupar a vaga. Já convivendo com a equipe, ele ressalta que está sendo um momento especial de sua trajetória profissional. 
“Assim que soube da minha aprovação, liguei para minha família e meus amigos que ficaram extremamente felizes com a notícia”, ressaltou. 
Desafios
Sotana falou dos desafios e da responsabilidade em atuar na Esquadrilha da Fumaça. “Trabalhar aqui, pela importância da instituição, é um privilégio pra mim e vou me dedicar com muita responsabilidade, fazendo de tudo para ter o cuidado necessário que toda a equipe merece”, destaca.
Saiba mais
O EDA, popularmente conhecido como “Esquadrilha da Fumaça”, realiza demonstrações aéreas a fim de difundir, em âmbito nacional e internacional, a imagem institucional da Força Aérea Brasileira.
A Esquadrilha da Fumaça, a segunda mais antiga do mundo, localiza-se na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga, no Estado de São Paulo.

Esquadrilha da Fumaça já realizou mais de 3,7 mil apresentações
Com mais de 3.700 demonstrações realizadas no Brasil e em 21 países, o EDA representa para milhares de pessoas a oportunidade de estabelecer contato, de maneira emocionante e inesquecível, com a Força Aérea Brasileira. A implantação da nova aeronave, mais moderna e compatível com o atual contexto tecnológico, representa o início de uma nova era caracterizada pela inovação e pelo progresso.
No dia 3 de julho de 2015, a Esquadrilha realizou sua estreia com as aeronaves A-29 Super Tucano, mantendo sua tradição e vocação, durante a Cerimônia Militar de Entrega de Espadins da Turma Jaguar na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga/SP.  O voo histórico no “Ninho das Águias” foi mais uma confirmação da forte ligação existente entre a Fumaça e os Cadetes, uma vez que a instituição foi criada para incentivá-los a confiarem em suas aptidões aeronáuticas. 
O momento marcou a retomada da agenda de demonstrações após a conclusão do “Programa de Implantação da Aeronave A-29 Super Tucano no EDA”. O programa de implantação operacional e logística teve início no ano de 2013, em substituição ao T-27 Tucano, que foi utilizado na Esquadrilha por 30 anos.
Demonstração Aérea
Toda apresentação conta com sete pilotos em sete aeronaves. Cada posição de voo tem uma função específica, e as manobras são realizadas ora com os sete aviões, ora com quatro, ora com três e ora com um avião, o Isolado.
 Um oitavo piloto fica em solo realizando a locução. As missões também podem contar com avião de apoio para o transporte de equipe e material. A demonstração tem duração de 35 minutos e conta com cerca de 50 acrobacias.
Em uma demonstração aérea, antes da decolagem, os sete pilotos são acompanhados pelos mecânicos da área de manutenção e se apresentam para o Líder da Esquadrilha, marchando até os aviões e iniciando as ações necessárias para a partida das aeronaves. Após todos os procedimentos de segurança, é dado início ao show aéreo. 
A demonstração com o A-29 Super Tucano procura seguir a sequência de manobras que eram realizadas com o avião anterior, o T-27 Tucano, fazendo as adequações necessárias devido ao fato de a aeronave ser mais potente e apresentar maior capacidade operacional. A Fumaça também voltou a realizar duas manobras que não estavam mais sendo executadas pelo T-27: Lancevaque e Chumbóide. Outra novidade é a adoção da fumaça ecologicamente correta, baseada no conceito sustentável de não agredir o meio ambiente.