Início - Mais de 133 Mil Bovídeos Devem Ser Vacinados na 2ª Etapa da Campanha
Cidades

Mais de 133 Mil Bovídeos Devem Ser Vacinados na 2ª Etapa da Campanha

2ª ETAPA contra a febre aftosa vai até o dia 31 de novembro (Divulgação)

Exatas, 133.226 cabeças de bovídeos (bovinos e bubalinos) devem ser vacinadas na 2ª etapa da campanha de vacinação contra a febre aftosa. Nesta etapa de novembro, animais de zero a 24 meses de idade devem receber a dose da vacina. A informação é do Escritório de Defesa Agropecuária (EDA) de Catanduva que atende 18 municípios da região.
“O índice estadual da vacinação na primeira etapa da campanha, que foi excepcionalmente prorrogada até 15 de junho em função da paralização dos caminhoneiros, foi de 99,41% do rebanho bovídeo paulista de 10,8 milhões de cabeças. A expectativa é que 100 por cento dos bovídeos com até 24 meses sejam vacinados em novembro”, disse Fernando Gomes Buchala, coordenador da Defesa Agropecuária.
Em Catanduva, a meta de vacinar 100% do rebanho na 1ª etapa foi cumprida. Ao todo, 2.602 bovinos e 15 bubalinos foram vacinados na cidade. Já na região o montante é de 130.080 bovinos e 585 bubalinos.
A segunda etapa da campanha de vacinação contra febre aftosa teve início no dia 1º de novembro, no estado de São Paulo e vai até o dia 30 de novembro. Em todo o estado deverão ser vacinados 4,6 milhões de bovídeos (bovinos e bubalinos) com idade de zero a 24 meses, sendo que é proibida a vacinação de outras espécies de animais.
Conforme informações do médico veterinário João Gustavo Loureiro, do EDA Catanduva a Defesa Agropecuária tem como meta parar com a campanha em 2021. “Há 22 anos o estado está sem casos de febre aftosa e por isso o nosso objetivo é parar de vacinar em 2021. A ação deve continuar sendo controlada dentro do nosso estado, para isso ações de controle continuarão. Este ano, o Estado adotou uma nova estratégia de imunização contra a doença, para uniformizar o sistema com o calendário dos demais estados da Federação, com vistas à retirada da vacinação em 2021”, informa Loureiro.
O médico veterinário explica que a inversão no calendário ficou definida com a primeira etapa sendo realizada no mês de maio com a vacinação de todos os bovídeos independente da idade e a segunda etapa sendo realizada no mês de novembro com a vacinação de bovídeos de zero a 24 meses de idade.
“O ajuste foi realizado a partir de solicitação da Secretaria Estadual de Agricultura e Abastecimento ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), considerando o pleito do setor produtivo e consolidado pela publicação da Resolução SAA – 55 em 1º de novembro de 2017”, diz.
Durante a Campanha contra a Febre Aftosa, todas as Fêmeas bovídeas com idade entre três e oito meses devem ser vacinadas contra a brucelose.
“Esta vacinação deve ser realizada exclusivamente por médico veterinário habilitado junto a Coordenadoria de Defesa Agropecuária do Estado de São Paulo”, conclui Loureiro.
A vacinação é obrigatória. Deixar de vacinar e de comunicar a vacinação sujeita o criador a multas de 5 Ufesps (R$ 128,50) por cabeça por deixar de vacinar, e 3 Ufesps (R$ 77,10) por cabeça por deixar de comunicar. O valor de cada Ufesp – Unidade Fiscal do Estado de São Paulo é 25,70 reais.

Karla Sibro
Da Reportagem Local