Ipem-SP Alerta Sobre o Perigo das Baterias de Brinquedos e Aparelhos Eletrônicos

Utilizadas em brinquedos e alguns aparelhos eletrônicos, as baterias em formato de botão são pequenas, redondas e prateadas, e podem ser facilmente ingeridas pelas crianças e animais de estimação, inclusive, com a possibilidade de acidentes de consumo que podem levar a morte.
Devido ao risco, o Ipem-SP (Instituto de Pesos e Medidas do Estado de São Paulo), autarquia do Governo do Estado que tem como finalidade proteger o consumidor, alerta os pais, responsáveis e equipes médicas sobre esses graves riscos.
A ingestão acidental pode causar lesões significativas e permanentes, e levar até mesmo à morte. Pequenas baterias, que podem ter o tamanho de um botão ou de uma moeda, podem se alojar na garganta de uma criança, onde a saliva imediatamente desencadeia uma corrente elétrica, causando uma reação química que provoca queimaduras severas no esôfago, em menos de duas horas. Podendo também causar lesões permanentes nas cordas vocais. A gravidade da queimadura pode piorar, mesmo depois de a bateria ter sido removida. O tratamento pode envolver alimentação, uso de tubos de respiração e cirurgias.
Os brinquedos certificados, que ostentam o selo do Inmetro, são obrigados a ter um compartimento para baterias seguro e resistente para as crianças. No entanto, os dispositivos eletrônicos em geral não têm essa opção e estão amplamente disponíveis e acessíveis em muitos lares. Portanto, é possível encontrar facilmente essas baterias acessíveis em controles remotos de TV, do ar-condicionado, chaves de carro, pequenas calculadoras, relógios, fones de ouvido, ioiôs iluminados, papais noéis eletrônicos, cartões, velas musicais, lanternas e até em tênis e roupas com pisca-pisca.
Dicas de segurança: Deixe equipamentos com baterias botão fora de alcance quando o compartimento da bateria não for seguro e trave as baterias frouxas. Se a criança engolir a bateria botão, imediatamente procure atendimento médico de emergência. Não a deixe comer ou beber e não estimule o vômito. Os sintomas podem ser similares aos de outras doenças, como tosse, ‘babação’ e desconforto. Como as crianças conseguem respirar normalmente, o diagnóstico pode ser difícil. Ter cuidado especial com cartões musicais, velas sem chama e controles remotos, porque os compartimentos das baterias costumam não ter travas.
Certificar-se de que as baterias sobressalentes estão guardadas fora do alcance de crianças e que as baterias usadas foram descartadas corretamente. Relate o caso no Sistema Inmetro de Monitoramento de Acidentes de Consumo (www.inmetro.gov.br/acidenteconsumo), o que poderá fundamentar uma possível regulamentação do uso de baterias.

Ariane Pio
Da Reportagem Local