Cidades

IBGE Divulga Dados Dos Produtos Que Mais Subiram Em Abril

Assine

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de abril foi de 0,57% e ficou 0,18 ponto percentual abaixo da taxa de março (0,75%), informou o IBGE na manhã do dia 10. A variação acumulada no ano foi de 2,09%.
Essas duas variações são as maiores para um mês de abril desde 2016. O acumulado dos últimos doze meses foi para 4,94%, contra os 4,58% nos 12 meses imediatamente anteriores.
O resultado do IPCA de abril sofreu forte influência dos grupos Alimentação e bebidas (0,63%), Transportes (0,94%) e Saúde e cuidados pessoais (1,51%). Juntos, estes três grupos responderam por 89,5% do índice do mês. O grupo Artigos de residência, com -0,24%, foi o único que apresentou deflação em abril.
Segundo o IBGE, o grupo Saúde e cuidados pessoais se destacou com a maior variação (1,51%) e o maior impacto (0,18 p.p.) dentre os grupos de produtos e serviços pesquisados.
As principais altas foram nos grupamentos de remédios (2,25%), refletindo o reajuste anual, em vigor desde 31 de março, com teto de 4,33%; higiene pessoal (2,76%), com destaque para os perfumes (de 1,45% em março para 6,56% em abril) e plano de saúde (0,80%).
Mesmo com a desaceleração no nível de preços de março (1,44%) para abril (0,94%), o grupo dos Transportes foi o segundo com maior variação e impacto no IPCA de abril.
A gasolina foi o principal impacto individual no mês em média 2,66% mais cara. As variações ficaram entre o – 0,58% na região Nordeste e a alta de 5,98% na região sul sudeste.
Os itens que mais contribuíram para a alta no valor da cesta básica no mês de abril foram mamão (42,78%), batata (29,45%) e tomate (28,43%).

Ariane Pio
Da Reportagem Local