Cidades

HUSD Atende Mais de 200 Suspeitas de Dengue em Janeiro

O Hospital Unimed São Domingos (HUSD) atendeu, até o momento, 201 casos suspeitos de dengue. O levantamento, com dados obtidos até o dia 22 de janeiro, foi encaminhado pela Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) da unidade à Vigilância Epidemiológica de Catanduva.
Para aprimorar ainda mais os atendimentos de casos com notificação por dengue, médicos, residentes e enfermeiros do HUSD participaram na última terça-feira, dia 21, de treinamento com o infectologista e cooperado da Unimed Catanduva, Ricardo Santaella Rosa. No encontro, Santaella priorizou orientações como a fisiopatologia da dengue, classificações da doença, além de análise de sintomas, diagnósticos, prescrições e números de casos.
De acordo com o profissional, e segundo dados apresentados em outros anos, o primeiro semestre do ano é o período em que mais se notifica casos da doença. “Catanduva registrou 3.037 casos em 2019, sendo 2.262 deles no período de janeiro a junho e o restante, 745 atendimentos, no segundo semestre”, destacou. Ainda segundo Santaella, o principal objetivo do treinamento é alinhar as informações junto aos demais profissionais e priorizar o atendimento conforme a definição de casos suspeitos. “Investigar período de febre, grupos especiais, comorbidades e sinais de alerta são as principais orientações”, detalhou.
De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde somente no mês de Janeiro foram confirmados 144 casos e 554 suspeitas de dengue ainda estão em análise em Catanduva.
Fique atento
aos sintomas
Pessoas que apresentam febre com duração de dois a sete dias acompanhada de um ou dois sintomas como: náusea ou vômito, dor de cabeça, dor nos olhos, vermelhidão na pele e dores musculares, são definidas como caso suspeito. Casos de criança com febre alta por mais de dois dias, sem sintomas associados à infecção, também precisam ser investigados.

Campanha
Desde o ano passado, a Unimed Catanduva é parceira na campanha #CatanduvaContraDengue, que envolve diversos órgãos de saúde do município, com o objetivo de orientar e mobilizar a população contra a doença, assim, evitando uma nova epidemia na cidade. Para o combate, basta que cada um faça a sua parte com atitudes simples: mantenha o quintal limpo e livre de criadouros de dengue, evite água parada e permita a entrada dos agentes em casa.

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local