Cidades

Hoje É O Dia Do Rock Com Muita História E Música

O Dia Mundial do Rock é comemorado anualmente em 13 de julho no Brasil. Esta data é uma homenagem ao estilo musical do Rock n’ Roll, que revolucionou a música e o comportamento social da juventude na segunda metade do século XX.
Os grupos de rock, geralmente, são formados por um cantor, um baixista, um ou dois guitarrista e um baterista.
Atualmente, o rock é um gênero musical composto por várias influências que são até mesmo antagônicas, mas que continua com o mesmo propósito original de lutar pela “liberdade de expressão”.
Mesmo sendo conhecido por Dia Mundial do Rock, esta data é comemorada especialmente no Brasil, graças a uma campanha promovida por duas rádios paulistas em 1990 que consagraram o dia 13 de julho como Dia do Rock.
Os americanos, por exemplo, preferem celebrá-lo no dia 9 de julho.
Durante o Dia do Rock, nas principais cidades brasileiras são organizados eventos com shows de importantes artistas representantes do rock n’ roll nacional e internacional. Em 13 de julho de 1985, houve um grande evento chamado Live Aid, um show simultâneo em Londres, na Inglaterra, e na Filadélfia, nos Estados Unidos.
O objetivo principal era conscientizar a população mundial sobre a drástica pobreza e a fome na Etiópia.
O evento contou com a presença de renomados artistas e grupos de rock da época, como The Who, Status Quo, Led Zeppelin, Dire Straits, Madonna, Queen, Joan Baez, David Bowie, BB King, Rolling Stones, Sting, Scorpions, U2, Paul McCartney, Phil Collins (que tocou na Inglaterra e nos EUA), Eric Clapton, Black Sabbath, entre outros.
O show foi transmitido ao vivo para diversos países. Na ocasião, o cantor e baterista Phil Collins propôs que o dia 13 de julho fosse lembrando como Dia Mundial do Rock.
Simone Martins é muito fã do rock e do todo estilo, sempre tatuada e não deixa de vestir um preto ou camisetas de suas bandas prediletas como Queen, Led Zeppeling, entre outros. Ela diz que conheceu o rock através de amigos da escola e desde então tem uma paixão pelo estilo. Simone também comentou que ensina sua filha de 8 anos a gostar das musicas e historias que o rock’ n roll carrega ao longo desses anos. “Acredito que o gênero rock não é agressivo tem muita história e letra de musica boa e me orgulho muito por ter conhecido um estiolo que foi um marco no mundo não só musical, mas como social” finaliza Simone.

Ariane Pio
Da Reportagem Local