Início - HERON, GÊNIO DE ALEXANDRIA
Cidades

HERON, GÊNIO DE ALEXANDRIA

Quando você coloca dinheiro numa dessas máquinas que existem em aeroportos e em muitos locais e tem acesso a uma latinha de refrigerante ou qualquer outro produto escolhido, você sequer imagina que esse mecanismo foi criado há mais de dois mil anos. Sim, e o seu criador Heron de Alexandria(10 d.C – 75 d.C), foi um grande matemático, engenheiro e inventor da antiguidade que viveu em Alexandria no século I. Em geometria, por exemplo, Heron fez vários cálculos de superfície e volume de figuras tridimensionais como esferas, pirâmides, cubos e outras, além de ter desenvolvido a fórmula que leva seu nome, na qual se obtém a área de qualquer triângulo a partir apenas das medidas dos seus lados. Apesar da sua destacada obra nas áreas de matemática e geometria, na verdade, seus inventos é que o tornaram bastante notável. Heron projetou o primeiro dispositivo acionado por um moinho de vento, um órgão musical e descreveu também o uso da dioptra (a avó do teodolito) e do odômetro, para medição da área de terrenos, sendo um dos pioneiros em Topografia. Também inventou seringas, bombas para combater incêndios e robôs mecânicos. Dentre suas criações mais curiosas, destaca-se a primeira máquina de venda automática com moedas. No modelo de Heron, o usuário colocava uma moeda na fenda superior que acionava uma alavanca que liberava uma quantidade de água benta. Esta era uma forma dos templos conseguirem oferendas que, não é muito diferente do mecanismo utilizado nas modernas máquinas de refrigerantes. Mas, a mais impressionante de todas as suas invenções foi a eolípila, uma máquina a vapor. Era um mecanismo onde a água adicionada à caldeira era aquecida com fogo. O vapor formado na caldeira alimentava a esfera através de um tubo que também servia de eixo. O vapor saia da esfera através de dois tubos curvos localizados em lados diametralmente opostos, gerando movimento, que é o princípio da máquina à vapor. Heron a inventou mil e setecentos anos antes da Revolução Industrial do século XVIII. Uma história, provavelmente uma lenda, diz que Heron mostrou com empolgação sua invenção ao rei que reagiu dizendo: – O que vamos fazer com os nossos escravos? Segundo estimativas, a população na terra à época de Heron(século I), era de apenas 250 milhões pessoas e o mundo não carecia de muito automação. Na época da Revolução Industrial, a população já caminhava para o primeiro bilhão e isso talvez explique porque o desenvolvimento e o uso da máquina à vapor, como ferramenta eficiente para a produção de bens e transporte, somente ganhou importância no século XVIII. Na época, Heron empregou a eolípia para automatizar a abertura e fechamento de portas dos templos de Alexandria. As pessoas acreditavam que as portas abriam através da magia dos deuses, mas a verdadeira magia, nada mais era do que um sistema fruto da ciência e da engenharia de Heron.

José Carlos Buch
www.buchadvocacia.com.br
buch@buchadvocacia.com.br

*ARTIGOS ASSINADOS NÃO REFLETEM A OPINIÃO DO JORNAL O REGIONAL