Início - Governo Já Digitalizou Quase 500 Serviços Para Enxugar Cofres Públicos

Governo Já Digitalizou Quase 500 Serviços Para Enxugar Cofres Públicos

O governo digitalizou quase 500 serviços neste ano de 2019 e passou a permitir que sejam feitos totalmente pela internet ou em aplicativos de celular como pedidos de aposentadoria, de licença maternidade, carteira de trabalho digital e carteira de vacinação internacional. Tudo isso para gerar uma economia para os cofres públicos que chegará a R$ 345,42 milhões com redução de funcionários e papéis.
Depois que o documento passou a ser emitido pela internet o número de funcionários dedicados a atender aos cerca de 2 mil pedidos diários caiu de 700 para 95. No setor responsável pela emissão do Certificado Internacional de Vacinação na Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), por exemplo. Na lista de serviços digitalizados, que chegou a 486 itens até a última sexta-feira, 29, estão também licenças e alvarás destinados a empresas.
Ao todo, o governo tem hoje cerca de 3,3 mil pedidos que podem ser feitos digitalmente. Antes espalhados em portais dos diferentes órgãos, desde agosto todos os pedidos podem ser feitos no site www.gov.br.
Depois de o governo oferecer 109 novos serviços digitalmente em 2018, a meta para este ano era acrescentar mais 400 itens – o que foi ultrapassado – e, para 2020, outros 600.
Essa meta já foi alcançada no INSS onde tudo o que era possível ser oferecido via internet já foi digitalizado. No órgão, é possível pedir pela internet 96 serviços diferentes, como solicitação de pensão, benefício assistencial, marcar perícia médica ou comunicar acidente de trabalho.
Foram priorizados na digitalização serviços com maior volume de demanda, como a carteira de trabalho digital. Nesse caso, só foi possível fazer a digitalização depois que a chamada medida provisória da liberdade econômica foi convertida em lei.
A estratégia do governo é digitalizar todos os serviços para que possam ser consultados por meio de aparelhos móveis. Estudos mostram que 70% dos brasileiros acessam a internet frequentemente e que, destes, 96% pelo celular, segundo o secretário de Governo Digital da Economia, Luis Felipe Monteiro.

Ariane Pio
Da Reportagem Local