Início - Governo cria agência para habitação
Cidades

Governo cria agência para habitação

Governo do Estado assinou um decreto que cria a Agência de Habitação Social Casa Paulista.

Governo do Estado assinou na terça-feira, dia 27 de setembro, um decreto que cria a Agência de Habitação Social Casa Paulista.
A criação da agência possibilita o Estado a construir por meio da CDHU e também ser agente fomentador de habitação, passando a incrementar os investimentos no setor, de interesse social, por meio da articulação de outras fontes de financiamento.
O deputado estadual Geraldo Vinholi (PSDB) acompanhou o evento no Palácio dos Bandeirantes e apoiou as medidas tomadas pelo Governo em conjunto com a secretaria de Habitação/CDHU.
De acordo com secretaria da Habitação, a Casa Paulista mobilizará a iniciativa privada, além de agentes públicos, associações, cooperativas habitacionais e sindicatos, visando aumentar a oferta de habitação social nos municípios paulistas com maior demanda.
A agência também vai regular a aplicação dos subsídios públicos, garantir o risco para novos investimentos em habitação social e incentivar a construção de moradias sustentáveis e acessíveis.  “Com a criação desta agência o crédito habitacional será facilitado e adequado às condições de pagamento das famílias de menor renda. O Governo do Estado vai investir, entre 2012 e 2015, R$ 7,9 bilhões para viabilizar 150 mil novas moradias e ações de urbanização de favelas”, disse Vinholi.
As ações prioritárias estão voltadas para áreas de risco; recuperação e urbanização de favelas e cortiços; promoção da habitação sustentável do litoral paulista e a integração com programas habitacionais federais.
Pindorama terá 70 casas construídas
Após esta cerimônia, a prefeita de Pindorama, Maria Inês Bertino Miyada, acompanhada do deputado,  assinou  um protocolo com a secretaria de Habitação/CDHU para a construção de 70 casas no município.
A assinatura trata-se de mais uma conquista de Vinholi para o município, que em fevereiro deste ano intercedeu junto ao secretário Silvio Torres e apresentou as necessidades de mais 70 unidades habitacionais para a cidade, uma vez que a prefeitura tinha a disponibilidade de um terreno para a construção.