Início - Gás de Cozinha Deve Ficar 10% Mais Caro a Partir de Setembro
Cidades

Gás de Cozinha Deve Ficar 10% Mais Caro a Partir de Setembro

Preço do produto varia entre R$ 55 e R$ 45, atualmente
Cíntia Souza
Da Reportagem Local
O gás de cozinha deve ficar 10% mais caro a partir de setembro. A informação é da Associação Brasileira dos Revendedores de GLP (Asmirg). O preço do produto varia entre R$ 55 e R$ 45 no botijão de 13 quilos em Catanduva. O aumento pode chegar a R$ 10, variando de acordo com as revendedoras. A reportagem de O Regional entrou em contato com cinco revendedoras da cidade, mas apenas duas disseram que receberam o comunicado. Elas confirmaram que o aumento previsto será de 10%. Na prática, o produto ficará R$ 5,50 mais caro.
O percentual é válido para todo território nacional e é referente aos reajustes de custos operacionais, assim como os dissídios coletivos que ocorrem regularmente em setembro. O comunicado deve ser repassado aos revendedores pelas Companhias Distribuidoras. Ainda não se sabe se o aumento começa a valer a partir do dia primeiro de setembro, variando de acordo com o estoque do produto na cidade.
A Asmirg aponta também o além do aumento no preço de compra, as revendedoras terão o aumento do custo referente aos acordos coletivos que ocorrem sempre em setembro. Como cada revendedor tem um custo operacional específico, a orientação é de os revendedores façam uma análise do impacto do aumento e os custos. 
No ano passado foram dois reajustes
No ano passado, dois reajustes foram repassados para as revendedoras de Catanduva. O primeiro foi de 15% e segundo de 10%. O preço médio do produto chegou a R$ 65, mas depois passou para R$ 60, em média. Alguns revendedores vendiam o produto a R$ 55 e ainda existe estabelecimento que comercializa o gás a R$ 48. 
Em dezembro, a Petrobrás divulgou aumento no gás industrial e comercial de 3,8%. Os comerciantes da cidade poderiam repassar o preço, mas devido aos reajustes que já ocorreram ao longo do ano e pela concorrência de valores no mercado, alguns optaram por não repassar.