Cidades

Força-Tarefa da ANP Flagra Infrações em Postos de Combustíveis de Catanduva

Uma força-tarefa da Agência Nacional de Petróleo (ANP) flagrou infrações em postos de combustíveis de Catanduva. No total, três irregularidades foram identificadas pelas equipes. A informação consta no “Balanço Anual 2018 de fiscalização do abastecimento em notícias”.
Após questionamento feito pela reportagem de O Regional, a ANP informou que foram 13 postos de combustíveis fiscalizados. “As infrações (03) foram: sobre o não funcionamento no horário mínimo estabelecido e não possuir equipamentos para testes. Não houve interdição e todos os agentes econômicos estavam com combustível em conformidade com as normas estabelecidas pela ANP”, informou o setor por meio de nota. Os nomes dos estabelecimentos percorridos pelas equipes não foi divulgado pela ANP.
Outros 10 postos de combustíveis foram notificados e tiveram as coletas feitas. A nível nacional, só no ano passado, foram 18.684 ações de fiscalização, que resultaram em 4.506 autos de infração. Desse número, 545 foram interditados de forma cautelar, além de serem emitidos 200 autos de apreensão.
“A principal motivação dos autos de infração emitidos foi o não cumprimento de notificações da Agência, que correspondeu a 23% do total. Em segundo lugar, equipamento ausente ou em desacordo com a legislação (15%) e, em terceiro lugar, a comercialização de combustível fora das especificações (12%). O combustível é considerado não conforme quando há desvio em relação a qualquer um dos itens da especificação definida pela ANP para o produto. A adulteração é a adição ilegal de qualquer substância a este produto”, informou a ANP no balanço.
Dos produtos que foram fiscalizados, ainda falando sobre o nível nacional, o etanol hidratado foi o que teve maior número de irregularidades. O principal deles foi com relação ao teor alcoólico na amostra. Na sequência aparece a gasolina que teve como problema encontrado a presença de marcador (substância que indica a presença de solvente exclusivo para fins industriais no combustível) e, no diesel, o teor de biodiesel.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local

Adicionar comentário

Clique aqui para comentar

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

/* ]]> */