Cidades

Energisa Sul-Sudeste Promove Hoje Ações De Conscientização Em Catanduva

A Energisa Sul-Sudeste realiza hoje (24), ações para conscientização das principais causas de acidentes com as redes elétricas. A iniciativa pretende chamar a atenção da população para o tema, alertando sobre os riscos com a rede e os cuidados necessários no dia a dia. O evento público em Catanduva será das 9h30 às 15h, na Praça da Igreja Matriz São Domingos, no centro da cidade.
Com o slogan “É aí que mora o perigo, eu me ligo na vida!” As ações e o lema da campanha fazem parte da XIII edição da Semana Nacional de Segurança com Energia Elétrica promovida pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee). Durante o evento, serão distribuídos folhetos informativos, cartilhas infantis e ocorrerão intervenções teatrais. Para Fernando Bombarda de Moraes, coordenador de Saúde e Segurança do Trabalho da Energisa Sul-Sudeste, o objetivo é orientar a população sobre os riscos de acidente com a energia elétrica. “Quando falamos em energia elétrica a atenção deve ser redobrada. Seja na cidade ou no campo, é preciso muita atenção durante qualquer atividade realizada perto dos fios de energia. Qualquer descuido pode ser fatal. Nosso o intuito é levar informação, e dessa forma, conscientizar as pessoas para evitar que os acidentes aconteçam. ”
De acordo com os dados da Abradee, em 2018 foram registrados pelas distribuidoras 891 acidentes em todo o país. Destes, 271 foram de maior gravidade e ocasionaram a morte das vítimas (no ano anterior, foram registrados 19 casos fatais a menos).
Das sete causas trabalhadas pela campanha como: Antena de TV, Poda de árvores, Pipas, Construção ou Manutenção Predial, Ligação Clandestina (Gato),Cabo Energizado ao solo, Manuseio de Equipamentos Agrícolas , a principal responsável pelos acidentes fatais ocasionados pelo contato com a rede de energia é a construção/manutenção predial, com 55% dos casos no último ano, o que equivale a 89 mortes. Neste caso, observa-se o grande número de construções de pequeno e médio porte realizadas sem o acompanhamento de profissionais especializados ou pessoas qualificadas para realizar as instalações.
Em relação às taxas de gravidade e de frequência dos acidentes (incluindo os fatais), de 2001 a 2018, houve uma redução de 43% nos acidentes com alta gravidade. Já a frequência dos acidentes ao longo do período teve uma queda de 30%. Em 2001, para uma população de 171,9 milhões, foram registradas 381 mortes, ou seja, uma morte para cada 451 mil habitantes. Em 2018, para uma população estimada de 208,5 milhões, foram registrados 271 acidentes fatais, ou seja, uma morte para 770 mil habitantes.

Ariane Pio
Da Reportagem Local