Início - Em 2016, Salário Mínimo Passa Para R$ 880 com Reajuste de 11,6%
Cidades

Em 2016, Salário Mínimo Passa Para R$ 880 com Reajuste de 11,6%

A partir do dia 1º de janeiro novo valor de R$ 880 passa a ser vigorado
Karla Sibro
Da reportagem local
Com um reajuste de 11,6% o novo valor do salário mínimo para 2016 é de R$ 880. A informação foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) ontem (30), com decreto assinado pela presidente da República Dilma Rousseff. A medida passa a ser vigorada a partir de amanhã, dia 1º de janeiro. Atualmente o salário mínimo do estado de São Paulo é de R$ 788.
O aumento de R$ 92 está acima da inflação que em 2015 já acumula alta de 10,71%.
A assessoria de imprensa da República afirma que com o novo valor a presidente dá continuidade a valorização do salário mínimo.
Segundo os dados do Dieese, o reajuste para 2016, representará um incremento de renda na economia brasileira de R$ 51,5 bilhões. O reajuste terá impacto para cerca de 40 milhões de trabalhadores e aposentados.
Já o aumento para os beneficiários da Previdência Social que ganham acima do salário mínimo será calculado pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano de 2015, percentual divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em janeiro de 2016.
“Diante do cenário econômico adverso que enfrentamos hoje, essa é uma boa notícia para começar o ano. O governo federal continuará investindo na valorização do salário mínimo nos próximos anos, uma condição importante para a retomada do crescimento da economia, garantindo emprego e renda e preservando o poder de compra da população”, diz o ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto.
CONTRIBUIÇÃO AO INSS
Para as empregadas domésticas, por exemplo, que recebem salário mínimo e que recolhem 8%, a contribuição passa de R$ 63,04 para R$ 70,40. A parte do patrão, que também contribui com 8% do salário, sobe para R$ 70,40. Se recolher as duas partes, pagará R$ 140,80.
No caso de quem aderiu ao plano de contribuição simplificada (para donas de casa e estudantes, por exemplo), o recolhimento ao INSS, que era de R$ 86,68 (11% sobre o mínimo), passa para R$ 96,80.