Cidades

Em 1ª Etapa, 8 Quilômetros do Gasoduto São Implantados

Obras começaram em julho deste ano em Catanduva (O Regional)
Assine O Regional Online

Mais de oito quilômetros – essa é a quantidade de rede do gasoduto que já foi implantada em Catanduva desde julho deste ano, quando teve início a primeira etapa dos trabalhos de instalação de gás natural subterrâneo. A expectativa é de que a obra, que começou em julho deste ano, termine no segundo semestre de 2018. O investimento dessa primeira parte dos serviços é de R$ 5,4 milhões. A informação é da Gasbrasiliano, empresa responsável pela obra.
No total, serão 82 quilômetros de rede que deverá atender todos os distritos industriais de Catanduva. O gasoduto ligará a cidade a Itápolis, passando por Santa Adélia e Pindorama. No total são três etapas, com um investimento de R$ 60 milhões.
Nesta primeira etapa em andamento em Catanduva, está sendo feito um sistema local. Serão 10,5 quilômetros de rede de distribuição de gás natural até o final deste mês. A segunda etapa do trecho de extensão será de 56 quilômetros que deverá ligar Itápolis a Catanduva. Na terceira etapa a expectativa é de completar essa expansão na cidade, fazendo com que haja a ampliação dos serviços de distribuição de gás natural canalizado.

A Gasbrasiliano aponta que inicialmente serão ligados sete clientes industriais que já teriam sido contratados, além de um posto de Gás Natural Veicular (GNV). No total, a cidade conta com mais de 340 empresas de diferentes ramos, como metalurgia, construção, mecânica, tipografia, calçados, móveis e usinas.
“A rede de distribuição de gás natural que interligará Itápolis a Catanduva será em aço, com 8 polegadas de diâmetro e pressão de 75 bar”, explica o setor.
O sistema teria sido implantado pensando também em uma futura expansão. Um dos exemplos citados seria a cidade de São José do Rio Preto, que poderá contar com gás natural nos próximos anos.
A obra teve autorização do Governador do Estado, Geraldo Alckmin, em outubro do ano passado. João Carlos Meirelles, secretário de Energia e Mineração do Estado de São Paulo, citava, na época, a importância do investimento para a economia da região. “Com a chegada do gás natural a Catanduva, o energético ficará mais próximo do município de São José do Rio Preto, um dos maiores do noroeste paulista, contribuindo para a viabilização econômica de nova expansão da rede de gás natural”, disse Meirelles.

Cíntia Souza
Da reportagem local