Início - Dia do Padre: Jonas Pimentel Conta Sobre o Chamado Vocacional

Dia do Padre: Jonas Pimentel Conta Sobre o Chamado Vocacional

Arquivo Pessoal

Nesta terça-feira, 04 de Agosto, é celebrado o Dia do Padre. A data homenageia um dos membros do clero da Igreja Católica, um sacerdote consagrado por um bispo cuja missão é evangelizar, celebrar a Eucaristia (missa), ouvir confissões, ministrar o batismo, o sacramento da cura, abençoar os fiéis.
A Equipe de O Regional entrevistou o Padre Jonas Pimentel sobre o chamado vocacional ao Sacerdócio. “Sou natural da Paróquia São Judas e sempre fui muito participante da igreja. Desde pequeno sempre estive na catequese, fui coroinha, quando pequeno ajudava minha mãe e avó a limparem a igreja. Sempre falei que queria ser Padre. Na escola tinha teatro e eu queria ser o Padre, mesmo quando era casamento caipira, todos achavam sua dupla para dançar e eu queria ser o Padre. Lembro-me de uma redação que fiz na terceira série sobre o que gostaríamos de ser quando atingisse a idade madura e eu escrevi que queria ser Padre”, explicou.
Padre Jonas ainda falou sobre a importância do Sacerdócio. “Na missão da igreja ele tem uma missão muito grande. Jesus instituiu e escolheu doze discípulos para continuarem sua missão. Os apóstolos, que são os nossos bispos eles continuam essa missão que foi repartida aos padres. Então na prática, o Sacerdócio é aquele que faz essa mediação entre o povo e Deus e por essa missão sacerdotal do ministério que ele recebe algumas coisas só o Padre pode fazer, por exemplo, o Sacramento da Eucaristia, a absolvição dos pecados, unção dos enfermos. Olhando pela visão das pessoas, o Padre sempre está em um contato próximo com Deus, muitos pedem orientação, auxílios, em alguns casos muitos não conseguem nem contar algumas situações aos psicólogos, mas sentem a confiança de relatar ao Padre. Seja a confiança, orações ou proximidade com Deus, isso inspira as pessoas a estarem muito mais próximas a Deus através da figura do Padre”, complementou.
A exemplo do que ocorre com toda missão, não é diferente quando se fala do ministério sacerdotal. Padre Jonas contou sobre os desafios e alegrias dessa missão. “Um dos desafios do Padre é não poder constituir uma família, apesar de ser algo que sabemos desde o começo da nossa missão. Também há desafios ao chegarmos a lugares novos, sem conhecer ninguém, mas com a missão de liderar e conduzir aquele rebanho. Outro desafio é a missão de despojamento porque o que nós temos é da igreja, apesar de recebermos um auxílio para nos manter, a casa, carro é da igreja. São desafios que enfrentamos ante o mundo que acumula coisas e nós temos uma vida muito singela nesse sentido. Outro ponto desafiador é conduzir a igreja nesse momento de pandemia, com novos protocolos e cuidados”, ressaltou.
Padre Jonas finalizou com uma mensagem de São João Maria Vianey que nasceu na França, em 1786, e foi considerado um dos mais notáveis conselheiros do mundo católico em sua época. O Papa Pio XI o canonizou em 1925. “Às vezes cedo o desejo bate à porta, vai seguir a vocação. A saudade em seu peito é contratempo, Deus segura em sua mão. Como pai que dá a vida por seus filhos o Padre doa o seu viver. Farol que indica rumo no mundo perdido, quem abre os olhos pode ver. Eu tenho certeza que não há riqueza maior que o amor que há em toda missa, em cada clamor que esse homem santo leva Deus no canto que transforma o coração. Quem busca a esperança no olhar de uma criança vê que é importante para um país uma Igreja Santa e na comunidade onde mora um Padre o povo vive mais feliz.”

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local