Início - Consirc Articula Abertura de Novos Leitos de UTI na Microrregião

Consirc Articula Abertura de Novos Leitos de UTI na Microrregião

Divulgação

O Consórcio Público Intermunicipal de Saúde da Região de Catanduva articula a possível abertura de novos leitos de UTI na microrregião. Para isso, uma reunião extraordinária do Conselho Curador foi realizada na semana passada.
O objetivo seria a abertura de um chamamento público para credenciamento de estabelecimentos para fornecimento de Leitos de UTI para pacientes com a Covid-19. Participaram da reunião representantes dos municípios: Urupês, Novo Horizonte, Catanduva, Elisiário, Marapoama, Itajobi, Palmares Paulista, Paraíso, Sales, Novais, Pindorama, Fernando Prestes, Santa Adélia, Pirangi, Embauba, Irapuã e representantes do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.
As tratativas foram incluídas em Ata, publicada ontem no Diário Oficial de Catanduva.
De acordo com o documento, o presidente do Conselho Curador, Ronaldo Carlos Gonçalves Junior, de Catanduva, falou sobre o aumento nos casos de pacientes que testaram positivos na microrregião e sobre a crescente taxa de ocupação nos leitos de internação existente (Leia mais em Cidades Capa).
O também secretário de saúde de Catanduva foi quem fez a proposta para a abertura do chamamento público.
A secretária de Saúde de Novo Horizonte, Marcela Girotto Troncoso, afirmou que na cidade foram implantados 09 leitos de UTI e que novos equipamentos e contratações tem sido realizadas para abertura de mais 10 leitos. Afirmou ainda que já foi solicitada a habilitação dos leitos ao Ministério da Saúde.
Na ata, ficou definido que os municípios precisam encaminhar para apreciação dos prefeitos:

Forma de custeio – pagamento integral dos leitos contratados para garantir a disponibilidade, independente de taxa de ocupação; percentual de rateio dos município – Catanduva afirmou estar disposto a arcar com um percentual maior caso a taxa de internação dos munícipes de Catanduva represente um percentual maior que o per capita de sua população, ficando aos demais municípios dividirem o restante per capita, com exceção do município de Novo Horizonte, que ficaria isento de pagamento, tendo em vista o alto valor já investido, regulação das vagas – realizado através da Central de Regulação do SAMU Regional junto ao NIR das instituições credenciadas, sendo que serão utilizadas todas as vagas fornecidas pelo “Sistema de regulação CROSS” na microrregião para posterior ocupação das vagas adquiridas; Monitoramento e avaliação – será instituída uma comissão composta pelos gestores de saúde visando acompanhar os serviços prestados. Os participantes do conselho aprovaram a proposta.
Uma segunda demanda analisada pelo órgão foi sobre transportes de pacientes para internações nos hospitais fora da microrregião. Para os representantes do Samu, a utilização da viatura equipada como UTI não pode fazer esse deslocamento, pois perderiam tempo de viagem e deixariam de atender casos graves, se ocorrerem, neste período. O Samu sugeriu a contratação de empresa de UTI Móvel para quando for necessário e cada município arcar com o custo.

Karla Konda
Editora Chefe