Início - Com Aumento, Gás de Cozinha Chega a R$ 70 em Catanduva
Cidades

Com Aumento, Gás de Cozinha Chega a R$ 70 em Catanduva

Até a manhã de ontem (8) o valor médio do gás variava entre R$ 60 e R$ 65 (Divulgação)

Com o novo aumento anunciado pela Petrobras, o gás de cozinha já chega a R$ 70 em Catanduva. A maioria das revendedoras deverá repassar o valor até segunda-feira (11) na Cidade Feitiço. Dos seis estabelecimentos que fizeram parte de levantamento de O Regional, um já teria feito o reajuste. Os demais teriam recebido o novo preço, mas aguardavam para atualizar os valores.
Até a manhã de ontem (8) o preço médio do gás variava entre R$ 60 e R$ 65, mas pode mudar a qualquer momento. O preço do produto de dezembro é 33% maior do que o visto em janeiro deste ano, época em que era vendido a R$ 52,27 em média, conforme dados da Agência Nacional do Petróleo Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Até o mês passado, o preço médio do GLP era de R$ 62,75.
O mais novo aumento no gás de cozinha anunciado pela Petrobras na semana passada é de 4,5%, em média, para o botijão de 13 quilos. O motivo apontado para justificar o reajuste seria “alta das cotações do produto nos mercados internacionais, influenciada pela conjuntura externa e pela proximidade do inverno no hemisfério norte”, disse a petroleira por meio de nota. Outro fator que teria influenciado o novo preço é a variação do câmbio, já que o reajuste segue acompanhamento do mercado internacional.

Nova metodologia
Após o anúncio do novo preço do GLP, a Petrobras decidiu analisar a metodologia usada para o reajuste dos produtos. O Grupo Executivo de Mercado de Preços (GEMP) aponta que “embora os preços do GLP praticados no Brasil devam ser referenciados ao mercado internacional, esta metodologia necessita ser revista”, explicou por meio de nota.
A razão apontada seria que “o mercado de referência (butano e propano na Europa) está apresentando alta volatilidade nos preços, agravada pela sazonalidade (inverno) naquela região”, complementa. Sendo assim, o reajuste da semana passada seria o último da metodologia antiga.
O setor não expressou como será o novo parâmetro de preços aplicado. Dizendo apenas que está em busca de uma metodologia que seja mais “suave”. “Esta revisão se aplicará exclusivamente ao GLP de uso residencial, comercializado em botijões de 13kg, e não terá reflexo sobre os demais derivados comercializados pela Petrobras”, finaliza o comunicado.

Cíntia Souza
Da reportagem local