Cidades

Catanduva Tem Três Casos Confirmados de Meningite e Duas Mortes

Jovem de 19 anos estava internado no Hospital Padre Albino (O Regional)
Assine

Catanduva tem três casos confirmados de meningite nos primeiros meses de 2018. Do número total, foram duas pessoas que morreram com a doença. Os dados fazem parte do mais recente levantamento da Secretaria Municipal de Saúde que, a pedido da reportagem de O Regional, foram enviados ontem (12).
A Cidade Feitiço teve, até o momento, 10 casos notificados da doença. No período, cinco exames tiveram resultado negativo e outros dois pacientes são investigados.
Os dois óbitos de vítimas com meningite foram registrados em janeiro, com um intervalo de sete dias de um para outro. O primeiro ocorreu em 23 de janeiro. Um homem de 35 anos foi encontrado morto na casa onde morava em Catanduva. Exames teriam sido realizados e teria sido identificada a bactéria da doença no organismo dele. O resultado da autópsia ainda não ficou pronto.
O segundo caso foi de um jovem de 19 anos que também morreu com o tipo mais grave de meningite. Ele estava internado no Hospital Padre Albino. A vítima era funcionário do Ambulatório Médico de Especialidades (AME) e o caso dele era acompanhado pelo setor. Familiares, amigos e profissionais de saúde que realizaram os primeiros atendimentos teriam sido examinados.
Em 2017 nenhuma pessoa morreu com meningite, ainda de acordo com o balanço da Secretaria Municipal de Saúde. No acumulado de janeiro a dezembro foram 21 casos positivos da doença. Outros 23 tiveram diagnóstico negativo para meningite.
Dados do Ministério da Saúde também mostram que os surtos da versão mais grave da doença são registrados de maneira comum no inverno, diferente do visto em Catanduva neste início de ano, já que em pleno verão foram contabilizados os óbitos de pacientes com meningite. Os casos mais comuns nesta época do ano são as meningites virais. Apesar de não ser comum, por se tratar de uma doença endêmica, os registros são esperados ao longo do ano com os casos ocasionais.
Ainda de acordo com o setor, a meningite é um processo que resulta na inflamação das meninges, as membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal.
“Pode ser causada por diversos agentes infecciosos, como bactérias, vírus, parasitas e fungos, ou também por processos não infecciosos. As meningites bacterianas e virais são as mais importantes do ponto de vista da saúde pública, devido sua magnitude, capacidade de ocasionar surtos e, no caso da meningite bacteriana, a gravidade dos casos”, aponta o Ministério da Saúde. Os principais sintomas da doença são: febre, dor de cabeça, vômitos, náuseas, rigidez de nuca ou manchas vermelhas na pele. O tratamento é feito com a causa da doença, e varia de tratamento para o alívio dos sintomas.
Quanto mais cedo começar o tratamento e o diagnóstico, maiores são as chances de recuperação. Algumas sequelas podem ser registradas como paralisia dos membros, perda auditiva e perda da visão.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local